Distrito Federal terá segurança reforçada no segundo turno da eleição

Logo Agência Brasil
Logo Agência Brasil

O Distrito Federal (DF) terá esquema de segurança reforçado neste domingo (30), segundo turno das eleições. A Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF) e as forças de segurança da capital coordenarão o Protocolo de Ações Integradas, que reúne 29 órgãos e agências diariamente na capital federal.

O planejamento prevê reforço do policiamento nos pontos de votação, nas escolas, nos locais de apuração de votos, na segurança de juízes eleitorais e na prevenção e monitoramento de crimes eleitorais. Haverá, ainda, reforço das equipes de atendimento de emergência, de delegacias e batalhões, na escolta de promotores públicos e juízes eleitorais e policiamento de trânsito em vias e rodovias.

Notícias relacionadas:

O protocolo também prevê ações específicas que antecedem o dia do pleito, com a proteção de locais de armazenamento de urnas eletrônicas e o transporte para locais de votação. Toda a movimentação será acompanhada e monitorada pelas forças de segurança do DF.

Trânsito

A Esplanada dos Ministérios permanecerá sem intervenções de trânsito ou pedestres no dia da votação. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, qualquer mudança ocorrerá somente em caso de necessidade, conforme avaliação do Gabinete de Gestão Estratégica. O acesso à Praça dos Três Poderes pode ser restrito, caso seja detectada possibilidade e movimentação de público para o local. No caso de mudança, a população será avisada previamente.

Congresso Nacional, ministérios da Justiça e Segurança Pública e de Relações Exteriores, além do Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE) serão protegidos com gradis instalados pelos próprios órgãos. Além do reforço da segurança pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), os prédios públicos contarão com segurança própria.

Avenidas, ruas e rodovias distritais e federais serão monitoradas pelos órgãos de trânsito locais – departamentos de Trânsito (Detran-DF) e de Estradas de Rodagem (DER/DF) e batalhões da PMDF e, ainda, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Intervenções pontuais nesses locais poderão ser feitas para melhorar a fluidez do trânsito.

Policiamento

O policiamento está reforçado desde o último dia 19, quando teve início a operação com o processo de lacração de urnas eletrônicas. Desde então, os equipamentos estão sob vigilância e monitoramento diuturno de policiais militares. O transporte das urnas para os 610 locais de votação contará com escolta da PMDF.

Até o término de todo processo de votação, as escolas ficarão sob monitoramento da PM, assim como ocorrerá nas 20 juntas de apuração. Os cartórios eleitorais ficarão sob a responsabilidade da Polícia Judicial, exceto aqueles que também forem usados para votação ou apuração, que também terão reforço da Polícia Militar.

Todo o efetivo disponível das forças de segurança atuará diretamente, ou de sobreaviso, no dia da votação. A Polícia Civil do Distrito Federal será responsável pela escolta de juízes eleitorais e promotores no dia da votação.

A Polícia Federal (PF) destacará equipes em cada uma das 19 zonas eleitorais, compostas por delegado, escrivão, agente e papiloscopistas, para atuar em casos de crimes eleitorais no dia do pleito. A Superintendência da Polícia Federal em Brasília será a base para encaminhamento de eventuais ocorrências de crimes eleitorais. O plantão da unidade será reforçado.

Lei Seca

De acordo com o TRE, não está prevista a proibição do comércio de bebidas alcoólicas no dia da eleição. No entanto, a SSP/DF alerta que os órgãos de trânsito vão atuar, em todo a capital, na fiscalização dos condutores alcoolizados ao volante.