Ditador da Belarus diz que eleições nos EUA são 'uma vergonha' e 'uma desgraça'

ANA ESTELA DE SOUSA PINTO
·1 minuto de leitura

BRUXELAS, BÉLGICA (FOLHAPRESS) - O ditador da Belarus, Aleksandr Lukachenko, afirmou neste sábado (7) que as eleições deste ano nos EUA são "uma vergonha", "uma comédia" e "uma desgraça". As declarações foram dadas durante a inauguração da usina de energia nuclear BelNPP. "Veja o que está acontecendo com essas eleições. Isso é uma vergonha, uma paródia dessa democracia", disse Lukachenko, segundo o canal de rede social Pul Pervy, ligado à imprensa oficial da Belarus. "Na próxima semana veremos essa comédia na linha de chegada. Isso já é uma comédia e uma desgraça para toda a democracia", afirmou a jornalistas o ditador, que enfrenta há 90 dias protestos por sua renúncia após uma eleição considerada fraudada. Segundo Lukachenko, a indefinição na eleição americana é mais um motivo para que ele não deixe seu cargo. "É bom que isso tenha acontecido, porque vimos a essência dessa democracia. Isso é conversa fiada. Somente os fortes e aqueles que podem se manter firmes são respeitados no mundo. Nós vamos ficar", afirmou, segundo o Pul Pervy. Os Estados Unidos estão entre vários países que impuseram sanções a membros do regime bielorrusso por reprimir violentamente manifestações pacíficas, opositores e jornalistas. O ditador afirmou que o resultado das eleições americanas não vai alterar as relações entre os dois países, e disse que gostaria de ver se outros países ocidentais vão exigir que os EUA façam nova eleição, como exigem da Belarus.