Diversidade no mundo fashion: conheça o Moda em Rodas

Heloisa Rocha abre seu guarda-roupa para dar dicas de moda. Foto: Hugo Bueno e Vinícius Sobrinho

O cenário do mundo da moda está mudando. Podemos observar que muitas marcas e produtos estão investindo em modelos com os mais diversos tipos de corpo. Porém, ainda existe um longo percurso para ser percorrido quando o assunto é maior inclusão das pessoas com deficiência no mercado fashion.

Pensando nisso, muitas mulheres estão fazendo sua parte. Esse é o caso da jornalista Heloisa Rocha. Portadora de uma doença rara chamada osteogênese imperfeita, ela decidiu criar um instablog em que ela pudesse dar dicas de moda e compartilhar um pouco de seu conhecimento sobre o tema.

Foi assim que nasceu, no ano de 2015, o Moda em Rodas. Na página, a jornalista abre seu guarda-roupa para mostrar alguns truques que valorizam o estilo das mulheres e melhoram o amor próprio das seguidoras.

Leia também:

Em três anos, Heloisa já publicou mais de 400 looks diferentes em sua página, o que fez com que ela chegasse ao público internacional. Mas ela também ajudou muitas mulheres quando o assunto é empoderamento. “Em alguns casos, eu constatei que esses seguidores passaram a publicar mais fotos pessoais em seus perfis”, afirma em entrevista ao blog.

Leia a entrevista completa:

De onde veio a ideia de criar o Moda em Rodas?

Heloisa Rocha: A minha ligação com a moda surge na infância, já que sou neta e sobrinha de costureiras por parte de mãe. Apesar de não ter adquirido o dom da costura, eu aprendi com elas a conhecer o meu corpo e saber o que ficava bem ou não em mim. Já adulta e atuando como jornalista, eu passei a assinar alguns quadros de moda e a cobrir alguns eventos do gênero. A atividade fez com que eu passasse a estudar sobre moda e a tomar gosto pelo assunto. Neste período, eu sentia a necessidade de criar um projeto pessoal, mas queria que fosse algo inovador e que pudesse ajudar outras pessoas.

É aí que surge o Moda em Rodas?

Heloisa: De repente, eu percebi que algumas amigas com deficiência adicionadas nas minhas redes sociais pessoais começaram a pedir dicas de moda e de vestimentas de acordo com os “looks” das fotos que viam nos meus álbuns. Assim, aproveitando, na época, o “boom” de blogueiras com seus “looks do dia” decidi criar o Moda em Rodas, ou seja, um espaço em que abriria literalmente o meu guarda-roupa e compartilharia com o mundo as dicas que adquiri ao longo dos anos.

Como é seu processo de criação para o Moda em Rodas?

Heloisa: Não existe um processo específico. As roupas apresentadas são todas do meu acervo, exceto quando se trata de alguma imagem referente a algum trabalho realizado como modelo. Os “looks” ali apresentados representam a personalidade da Heloisa Rocha, mas, é claro, que tento me inovar com o tempo ou tento relacionar alguma data especial com o “look” do dia. Agora, claro, que o Moda em Rodas fez com que eu passasse a ousar mais no meu estilo, a exemplo de que não usava cropped antes porque jurava que não ficava bem em mim. Enfim, o projeto não só ajudou a mudar as pessoas, mas também me forçou a mudar e a experimentar mais por aqueles que me seguem.

Qual o público que você quer atingir com o Moda em Rodas?

Heloisa: Inicialmente, eu pensava em atingir apenas as pessoas com algum tipo de deficiência, porém, com o passar dos anos, percebi que as pessoas no geral se identificavam com as fotos e os textos do Moda em Rodas. Em outras palavras, as atrizes e modelos eram as únicas pessoas com quem elas se espelhavam e, dessa forma, sentiam-se inseguras em mostrar (ou amar) os seus corpos. Certamente, por conta das diversas deformações que possuo no corpo, essas mulheres compreenderam o verdadeiro significado do amor-próprio e reconquistaram a autoestima depois que conheceram o projeto.

Qual acha que é a missão da sua página? Por qual motivo ela é importante?

Heloisa: Não definiria como missão, mas o Moda em Rodas trabalha hoje com três pilares: a importância e a consolidação da moda inclusiva, o resgate da autoestima feminina e a crítica de como a mídia e a publicidade pouco valorizam a diversidade dos corpos, em especial os com deficiência. Acredito que o perfil seja importante porque caminha ao lado oposto do que se é pregado nas redes sociais (leia-se: fotos, imagens e atitudes de uma vida perfeita e cheia de filtros) e estimula a outras mulheres a amarem a moda independente do corpo e das imperfeições que possua.

Como o público reage às postagens? Me conte um pouco sobre esse retorno.

Heloisa: Os seguidores, no geral, reagem pedindo dicas, como marcas e modelos que fiquem bem em seus corpos e, principalmente, pedem soluções de como comprar peças mais estilosas cidades em que habitam. Outros passaram a conquistar mais confiança em si depois que começaram a seguir o Moda em Rodas. Em alguns casos, eu constatei que esses seguidores passaram a publicar mais fotos pessoais em seus perfis e se sentiam muito à vontade e felizes em compartilhar comigo imagens pessoais ou de novas aquisições de moda.

As seguidoras se aproximam de você?

Heloisa: Apesar de não ser o foco e nem o objetivo do projeto, algumas poucas mulheres com deficiência, especialmente aquelas que possuem a mesma doença rara que a minha, pedem muitos conselhos de saúde, bem-estar e amorosos, pois, acredito, que elas encontraram no Moda em Rodas um espaço em que elas podem confidenciar seus medos e problemas e esclarecer dúvidas.

Siga o instablog da jornalista: