Dívidas e separação: áudio mostra motivação de PM para matar família

Fabiano Júnior Garcia era PM e matou oito pessoas, sendo seis familiares (Foto: Reprodução)
Fabiano Júnior Garcia era PM e matou oito pessoas, sendo seis familiares (Foto: Reprodução)

Fabiano Júnior Garcia, PM que matou a esposa, a mãe e os filhos no Paraná, enviou um áudio para familiares após cometer os crimes. Ele afirmou que a esposa, Kassiele, uma das vítimas, queria se separar e diz que não saberia viver em ela.

O áudio foi citado pelo comandante geral da Polícia Militar do Paraná, Hudson Leôncio Teixeira, e divulgado pelo jornal paranaense O Presente. Fabiano diz que a esposa queria se separar, após ele ter começado a jogar e sofrido com uma depressão.

“Me desculpa, mas eu não ia conseguir viver sem a Kassiele, me desculpa. Ela já não estava mais se importante com o jeito que eu ia lidar com ela, se eu ia dar atenção para ela ou não, e ela deixou a entender que não fazia questão de continuar comigo”, disse o PM no áudio, de forma exaltada.

Fabiano, além de falar sobre problemas do relacionamento, também citou problemas financeiros e dificuldade para manter a mãe dele.

“Falou que, possivelmente, iria separar, que não queria ficar comigo do jeito que eu sou, que é tudo do meu jeito. Então, se é assim... Eu estava querendo fazer isso mesmo. Já não consigo conviver com a situação da minha mãe, eu vivo financeiramente fodido e alguém ia ter que arcar com as despesas. Então, para não deixar peso para ninguém, eu fiz isso.”

Fabiano matou oito pessoas, sendo oito membros da própria família e dois desconhecidos que estavam perto. Em seguida, o policial cometeu suicídio.

Quem eram as vítimas

  • Kassiele, esposa, de 28 anos

  • Miguel, filho, de 4 anos

  • Kamili, filha, de 9 anos

  • Amanda, enteada, de 12 anos

  • Irene, mãe, de 78 anos

  • Claudiomiro, irmão, de 50 anos

  • Kaio, desconhecido do PM, 17 anos

  • Luiz, desconhecido do PM, 19 anos

Segundo a Polícia Militar, Fabiano Júnior Garcia trabalhava no 19º Batalhão de Polícia Militar de Toledo e estava na corporação há 12 anos. Depois de matar as oito vítimas, o PM se matou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos