Divisão de nuvem da Amazon investirá US$35 bi na Virgínia, EUA

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - A divisão de serviços em nuvem da Amazon disse nesta sexta-feira que planeja investir outros 35 bilhões de dólares até 2040 para expandir os data centers no Estado norte-americano de Virgínia.

A Amazon Web Services (AWS) disse que o novo investimento criará 1.000 empregos. O governador da Virgínia, o republicano Glenn Youngkin, disse que a AWS estabelecerá vários campi de data centers no Estado.

Em 2021, a AWS disse que de 2011 a 2020 havia investido 35 bilhões de dólares em data centers na Virgínia e tinha 3.500 funcionários em tempo integral em seus data centers no Estado.

Aguardando a aprovação dos legisladores estaduais, a Virgínia está desenvolvendo um novo programa de incentivo, que permitirá à empresa receber uma extensão de até 15 anos de isenções fiscais relacionadas a equipamentos e software.

A AWS também será elegível para receber um subsídio estadual de até 140 milhões de dólares "para melhorias no local e na infraestrutura, desenvolvimento da força de trabalho e outros custos relacionados ao projeto".

Em 2018, a Amazon, após um longo concurso, anunciou que o norte da Virgínia abrigaria sua segunda sede conhecida como "HQ2" e, eventualmente, empregaria mais de 25.000 funcionários. Em abril, a Amazon disse que seu número de funcionários designados para o local era de cerca de 5.000.

Youngkin enfrentou algumas críticas por desistir de uma competição para atrair uma nova fábrica de baterias da Ford em parceria com a Contemporary Amperex CATL .

Um porta-voz de Youngkin disse no início desta semana que, "embora a Ford seja uma empresa norte-americana icônica, ficou claro que esta proposta serviria como uma fachada para o Partido Comunista Chinês, que poderia abranger nossa segurança econômica e a privacidade pessoal dos virginianos".

A Ford se recusou a comentar as declarações de Youngkin ou o status da instalação planejada ou suas negociações com a CATL, mas em julho disse que planejava instalar 40 GWh de capacidade de bateria na América do Norte a partir de 2026.

(Reportagem de David Shepardson e Akash Sriram em Bengaluru)