Djokovic estreia no ATP Finals com vitória sobre Ruud; Rublev vence Tsitsipas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O número 1 do mundo Novak Djokovic começou firme sua luta pelo sexto título ATP Masters ao vencer em sets diretos, 7-6 (7/4) e 6-2, o norueguês Casper Ruud (número 8), nesta segunda-feira em Turim em uma jornada completada com a vitória do russo Andrey Rublev (N.5) sobre o grego Stefanos Tsitsipas (N.4), por 6-4 e 6-4.

"É uma sensação muito boa estar aqui de volta à Itália, obrigado a todos pelo apoio. A Itália é como uma segunda casa para mim", disse o tenista sérvio.

Em sua primeira participação no ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores tenistas da temporada, Ruud, de 22 anos, confirmou sua evolução na quadra dura para levar o sérvio ao tie-break no fim de um primeiro set que durou mais de uma hora.

Mas 'Nole' soube como aumentar o nível para fechar o set e vencer também o segundo com menos problemas.

Com esse triunfo, o astro sérvio assume a liderança do grupo verde, enquanto aguarda o segundo jogo do dia, entre o grego Stefanos Tsitsipas (N.4) e o russo Andrey Rublev (N.5).

Diante de um Ruud que não se mostrou intimidado, a quem ele enfrentou apenas uma vez, no saibro, e venceu (Roma 2020), Djokovic teve dificuldades no início, perdendo o primeiro game, quando sacou.

Mas ele se recuperou rapidamente e empatou em 3-3. Ruud fez alguns milagres na defesa, principalmente para salvar dois primeiros set points com seu saque (4-5), mas não foi o suficiente para vencer o tie-break.

Djokovic, protagonista de algumas trocas espetaculares do fundo da quadra, fechou o primeiro set com um ótimo golpe de direita cruzado.

Primeiro norueguês a participar do Masters, Ruud não teve forças para lutar na segunda parcial, fechada em meia hora pelo número 1.

O sérvio recebeu os aplausos no final da partida e recebeu a taça de número 1 do mundo, concedida para comemorar seu novo recorde: o de terminar o ano no topo do ranking pelo sétimo ano na carreira, um a mais que Pete Sampras, seu ídolo, a quem prestou uma homenagem.

"Uma das coisas mais difíceis no nosso esporte é terminar em primeiro lugar no final do ano, você tem que jogar muito bem, com consistência e ter muito sucesso ao longo da temporada em todas as superfícies. Estou muito orgulhoso", disse ele.

Em sua carreira para quebrar todos os recordes, Djokovic busca em Turim o sexto título de ATP Finals, com o qual ultrapassaria Roger Federer.

- Rublev derrota Tsitsipas -

Na sessão noturna, Rublev venceu Tsitsipas em uma hora e meia de jogo. O russo, pela segunda vez no Masters, se mostrou muito confiante contra o vencedor de 2019, que não estava fisicamente em seu melhor nível.

O finalista de Roland Garros, que se retirou do Masters 1000 de Paris no início do mês devido a uma lesão no cotovelo direto, não pareceu totalmente recuperado.

Não conseguiu nenhum break point, enquanto Rublev o pressionou o tempo todo, com cinco chances de 'break' no primeiro set, concretizando um que lhe permitiu abrir 3-2.

No segundo set ele conseguiu novamente quebrar o saque para abrir 3-2. Tsitsipas tampouco conseguiu virar.

alu/agt/iga/pm/mcd/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos