Djokovic planeja recorrer a tribunal se ministro australiano cancelar seu visto

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O tenista sérvio Novak Djokovic planeja ingressar com recurso ao tribunal caso seu visto na Austrália seja cancelado pelo ministro da Imigração, Alex Hawke, cuja decisão é esperada nesta sexta-feira. Segundo o jornal local The Age, advogados já se preparam para questionar uma possível tentativa de deportação e acreditam que a audiência seria acelerada.

Após ser adiado, o sorteio do Australian Open definiu nesta quinta-feira que Djokovic vai enfrentar o compatriota Miomir Kecmanovic na estreia do torneio, que começa na próxima segunda-feira. Apesar da manutenção do número um do mundo no chaveamento, sua participação ainda é incerta.

O ministro da Imigração deve anunciar sua decisão nesta sexta-feira. De acordo com o The Age, Hawke ainda analisa os documentos apresentados pela defesa do tenista, o que atrasou o processo. Se o caso for à Justiça, os advogados de Djokovic esperam que o assunto possa ser julgado até domingo, permitindo que o sérvio disputasse sua primeira partida se o recurso for acatado.

Djokovic é alvo de uma investigação que apura se o tenista mentiu ao entrar no país. O sérvio teria enganado sobre não ter viajado nos 14 dias que antecederam sua ida a Melbourne. Em pronunciamento em suas redes sociais, o atleta admitiu que houve erro no preenchimento do formulário de entrada na Austrália e culpou seu agente por ter assinalado outra resposta, no que chamou que equívoco "humano e administrativo". Publicações em redes sociais, no entanto, sugerem que o sérvio esteve em outro países antes da viagem à Austrália.

O juiz Anthony Kelly considerou na segunda-feira que a decisão do governo federal, na semana passada, de revogar o visto do tenista para entrar no país era "irracional" e ordenou que Djokovic fosse libertado. Após a decisão, o tenista disse que queria ficar na Austrália e tentar competir no Gram Slam em Melbourne.

"Estou satisfeito e grato que o juiz anulou o cancelamento do meu visto. Apesar de tudo o que aconteceu, quero ficar e tentar competir no Australian Open. Eu continuo focado nisso. Eu voei aqui para jogar em um dos eventos mais importantes que temos diante de fãs incríveis", publicou, junto a foto treinando em uma das quadras da cidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos