Djokovic precisa de mais de 4 horas para derrotar Tsitsipas e ser bicampeão de Roland Garros

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Depois de vencer Rafael Nadal na semifinal, Novak Djokovic, o sérvio número 1 do mundo, conseguiu uma virada incrível na decisão deste domingo de Roland Garros. Derrorou o grego Stefanos Tsitsipas (número 5) por 3 sets a 2, parciais de 6/7(6), 2/6, 6/3, 6/2 e 6/4, conquistando assim o bicampeonato do Grand Slam francês.

Com o título, chegou a 19 conquistas de torneios de Grand Slam, um a menos do que o recorde compartilhado por Roger Federer e Rafael Nadal. Além disso, o sérvio se tornou o primeiro tenista a atingir as finais de todos os Slams seis vezes, além de sagrar-se campeão de todos em pelo menos em duas oportunidades. Djokovic tem 9 troféus no Australian Open; 2 em Roland Garros; 5 em Wimbledon; e 3 no US Open.

Na decisão deste domingo, Tsitsipas se recuperou de uma quebra e venceu o primeiro set no tiebreak antes de levar confortavelmente o segundo. Mesmo assim, Djokovic estava determinado a garantir que todo o esforço que fez para derrotar Nadal, vencedor de Roland Garros por 13 vezes nas semifinais, não fosse desperdiçado. Após um game com quase 10 minutos de duração, o sérvio quebrou o rival e abriu 4/1. Ganhou a terceira etapa e antes do início da quarta bateria, o grego de 22 anos precisou de assistência médica. Recebeu uma massagem na região lombar na quadra.

Tsitsipas não conseguiu se recuperar e entrou no quarto set com pouca resistência e então o sérvio quebrou o saque de seu rival e fez 2 a 1 na rodada final, selando seu triunfo em quatro horas e 11 minutos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos