Djonga reage a decisão da justiça que proibiu frase 'Fogo nos racistas' em rede social

O rapper Djonga utilizou suas redes sociais para comentar uma determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo para a exclusão de uma postagem com a frase “Fogo nos Racistas” no Facebook, feito por uma enfermeira negra.

A usuária relatou uma agressão racista sofrida pela irmã em uma loja na capital paulista, a usuária e ilustrou o post com um cartaz que mostrava a frase popularizada por Djonga em sua música "Olho de tigre". O artista repercutiu a decisão da justiça em seus stories: "No mesmo país em que um presidente fala que uma mulher 'não merece ser estuprada pq é feia', que fala frases como bandido bom é bandido morto... Vc não pode gritar 'FOGO NOS RACISTAS'. É, JÁ SEI QUAL O TIPO DE BANDIDO ELES ATURAM".

Em "Olho de tigre", de 2017, Djonga canta versos como "Na hora do julgamento, Deus é preto e brasileiro/ E pra salvar o país, cristão, ex-militar/ Que acha que mulher reunida é puteiro". Apesar de ter feito a frase "Fogo nos racistas" famosa, o rapper fez questão de frisar em seus stories que ela não foi criada por ele:

“Quando eu trouxe essa frase em ‘Olho de Tigre', eu não sabia que ela se tornaria um dos gritos mais importantes da nossa geração. Nunca me apropriei dela como minha, inclusive por sentir que o caráter dela é maior que artístico. Eu e meus irmãos, minhas irmã, fomos perseguidos uma vida inteira, fomos acusados do que não fizemos uma vida inteira, alguns de nós tomaram tiro... por uma vida inteira fomos relatados na mídia em tom de deboche.”

A decisão da justiça também repercutiu entre ativistas negros e páginas de rap.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos