Doação de máscaras da China gera confusão entre Itália e República Tcheca

PRAGA, REPUBLICA TCHECA E ROMA, ITÁLIA (FOLHAPRESS) - Uma doação de máscaras hospitalares da China com destino à Itália foi encontrada em um armazém na República Tcheca, o que gerou uma confusão entre os dois países europeus.

Autoridades tchecas anunciaram na terça (17) a apreensão de 700 mil máscaras e respiradores.

O material foi descoberto em um armazém em Lovoisce, ao norte de Praga, em uma operação contra a venda irregular de itens hospitalares, que se tornaram mais valiosos devido à pandemia de Covid-19.

Segundo o governo, esse material teria sido encomendado por autoridades de saúde tchecas, mas um intermediário teria decidido aumentar o preço combinado inicialmente, o que o levou a operação a ser considerada irregular e motivou a apreensão do material.

Em seguida, as máscaras foram distribuídas a hospitais do país.

Na sexta (20), no entanto, foi revelado que parte do carregamento - cerca de 102 mil máscaras - eram parte de uma doação de um departamento da Cruz Vermelha na China para a comunidade chinesa na Itália.

O governo tcheco pediu desculpas e prometeu mandar um carregamento de máscaras para a Itália, de modo a compensar o erro, adicionando alguns milhares de unidades.

O carregamento seguiria de ônibus nesta segunda (23), junto com um grupo de italianos que estão voltando para o país.

Não está claro como as máscaras da China foram parar na República Checa, que não faz fronteira com a Itália, mas fica a algumas horas de estrada.

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi di Maio, disse que conversou no domingo (22) com seu homólogo tcheco e que considera a situação resolvida.

A Itália é um dos países mais atingidos pela pandemia no mundo e soma mais de 5.000 mortes. Na República Tcheca, houve ao menos 1.120 casos e uma morte.