Doações de Pix de R$ 0,01 travam conta de Bolsonaro

Jair Bolsonaro estaria recebendo doações de R$ 1 de apoiadores e aliados.(AP Photo/Andre Penner)
Jair Bolsonaro estaria recebendo doações de R$ 1 de apoiadores e aliados.(AP Photo/Andre Penner)

A campanha de Jair Bolsonaro (PL) para a reeleição segue recebendo doações. Porém, os valores que vão de R$ 0,01 de R$ 1 via Pix estão atrapalhando o ex-capitão, já que as quantias travaram o sistema do Banco do Brasil. O QG teve dificuldade de emitir extratos e apresentá-los na prestação de contas ao Tribunal Superior Eleitoral, conforme apurou colunista do portal Metrópoles.

O presidente estaria recebendo doações de R$ 1 de apoiadores e aliados. Flávio Bolsonaro (PL-RJ) já havia declarado ao O Globo que a campanha eleitoral do pai está com baixo orçamento. "O dinheiro que aguardávamos que viesse com as arrecadações estão sendo realizadas de forma muito lenta ainda. Isso atrapalha muito. Fazemos conta para ver quanto custa o deslocamento do presidente de um lugar paro outro".

Em três dias, Bolsonaro recebeu 258 mil transferências Pix, totalizando R$ 3,2 milhões em doações.

Até o momento, o presidente já recebeu R$ 27 milhões para fazer campanha. Pelo menos R$ 10 milhões são de pessoas físicas, em especial de empresários que o apoiam. O PL tem direito a R$ 270 milhões do fundo eleitoral.

Bolsonaro também já gastou sete vezes mais do que o valor usado há quatro anos, quando venceu a eleição. Há quatro anos, quando prestou contas ao Tribunal Superior Eleitoral, Bolsonaro declarou ter arrecadado R$ 4,3 milhões e gastou R$ 2,8 milhões.

O senador Flávio Bolsonaro usou as redes sociais para reforçar pedidos de doação. “Informo que doação de qualquer valor é bem-vinda, desde que seja do seu coração. E, sim, estamos precisando”, escreveu.

Lula lidera disputa

A nova pesquisa eleitoral 2022 feita pelo Instituto Datafolha, divulgada na noite desta quinta-feira (15), apontou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue na liderança da corrida eleitoral à presidência da República com 45% das intenções de voto no 1º turno.

Atual presidente e candidato à reeleição, Bolsonaro teve uma oscilação negativa dentro da margem de erro, e caiu para 31%. Ciro Gomes (PDT) tem 8%, e Simone Tebet (MBD) surge com 5%.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)