Unha encravada fez com que ele abrisse a maior rede de podologia do Brasil

Unha encravada virou ideia de sucesso (Foto: Divulgação)

Por Melissa Santos

Jonas Bechelli sempre pensou em ter seu próprio negócio. Filho de empreendedor da área da saúde, seu primeiro emprego foi na empresa do pai dos 13 aos 21, mas após uma ruptura familiar, ele resolveu seguir seu próprio caminho e investir em um novo negócio.

Fã de podologia, Jonas era adepto do serviço por conta das unhas encravadas. "Sempre achei muito agradável, mas via que era pouco profissionalizado, sem um padrão de atendimento", conta. E foi dessa necessidade por um serviço mais especializado e padronizado que veio a ideia de criar a Doctor Feet.

Leia também

"Sempre encarei que era um mercado sem crise porque se você está com dor no pé, não tem o que fazer... Você vai atrás de uma solução. Comecei a fazer pesquisas de mercado e vi que poderia ser muito atrativo ter um espaço com padrões de qualidade e visual ", conta.

Jonas resolveu que abriria sua primeira loja em uma região populosa. E foi quando ele decidiu que seria dentro do shopping Aricanduva, na zona leste de São Paulo. “Na ocasião, tive dificuldade de comunicar e mostrar a relevância do serviço. Principalmente para um público de nível mais simples, que não sabia o que era podologia”, conta.

Para isso, Jonas teve que adequar a sua linguagem e falar termos mais conhecidos, como “unha encravada” e “micose”, além de oferecer uma avaliação gratuita para quem fosse a loja. “Foi uma forma de aproximar as pessoas. Elas passaram a identificar a gente com esses problemas que são comuns. E depois da avaliação muitos se convertiam em clientes”, conta.

Foi nessa época também que foi criado o “pezão”, um material promocional em formato de pé, que existe até hoje –bem como a avaliação gratuita, e que é uma marca registrada da Doctor Feet.

Depois desse trabalho de aproximação de comunicação, Jonas viu os negócios avançarem cada vez mais. “Depois de três meses de fila e um sucesso no shopping, comecei a receber convite de outros shoppings para montar novos espaços. Comecei a expandir com lojas próprias, mas depois avancei para a franquia”, conta.

Inclusive, a primeira loja foi aberta pela mãe de um cliente da Doctor Feet. “Ela levava o filho para fazer tratamentos de podologia constantemente e percebeu o quanto aquele nicho era promissor “, conta.

Hoje são mais de 80 lojas em operação em 14 Estados brasileiros. O modelo de negócio é a loja tradicional, com 4 cabines e uma média de 12 a 13 profissionais, entre podólogos, manicures, atendentes e gerentes. Todos os profissionais passam por treinamentos para alcançar o “padrão Doctor Feet”.

Os serviços ofertados também são os mais variados e vão desde os tratamentos tradicionais, remoção de calos e calosidades, unhas encravadas, serviços preventivos, corte técnico das unhas, relaxamento, reflexologia, fototerapia, hidratação e argiloterapia. O atendimento é para todos os públicos: homens, mulheres, atletas, idosos, crianças e gestantes. “Foi-se tempo de que a podologia não era muito procurada pelos homens. Hoje temos um público misto”, avalia Jonas.