Documentário revela dia a dia do Complexo da Maré

·1 min de leitura

RIO — Crias da Maré e orgulhosos moradores da comunidade, Gabriel Horsth e Maiara Carvalho são os novos gestores do CTO (Centro de Teatro do Oprimido), grupo fundado pelo teatrólogo Augusto Boal (1931-2009), ao lado de Eloanah Gentil. O trio de atores já está fazendo acontecer. Nesta quarta-feira (10), os artistas lançam o documentário “Da Maré às águas”, uma das ações do projeto “Novembro negro”, que tem como objetivo traduzir em imagens as histórias inviabilizadas que acontecem no complexo de favelas, revelando como se sobrevive em meio ao caos. A videoperfomance ficará disponível no canal do CTO no YouTube.

Aos 26 anos, Maiara resume a importância cultural do seu lugar.

— Na Maré tem gente que veio da Baixada Fluminense, do Norte do Brasil, do Sul e até de alguns países da África. Essa comunidade é uma cidade dentro da cidade, onde o morador precisa rebolar para ter uma vida digna. Viver na Maré é aprender o tempo todo, é o diálogo dos bons e dos maus. É produzir estratégias para não ser interrompida pelo estado, seja pela ausência de estruturas básicas, como educação e saúde, ou pela presença brusca das operações policiais. A videoperfomance revela essa realidade — diz.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos