Documentário sobre Britney Spears vira febre: veja outros astros que têm sua vida contada em séries

Danilo Perelló
·3 minuto de leitura

Fã que é fã de ídolo pop quer cantar, dançar, estar perto do palco, levantar cartaz e, claro, saber tudo o que puder da vida de seu artista preferido. Canais de streaming perceberam esse filão e estão investindo cada vez mais em documentários sobre a vida desses astros, alguns produzidos em parceria com a própria celebridade.

Esta semana, até o cinema do líder no “Big Brother Brasil 21” exibiu uma dessas produções. Gilberto e seus escolhidos assistiram a “Framing Britney Spears — A vida de uma estrela”, lançamento do Globoplay. O filme foi um pedido da conta oficial de Gil no Twitter e de seus seguidores, prontamente atendido pela produção do programa.

— Sabia que ele ia ficar emocionado. Gil nunca foi ao show dela, mas tem muita vontade de ir. Quando ele for estudar fora, irá com certeza. Achei muito triste o pai de Britney agir da maneira como age com ela. Horrível mesmo — opina Jacira Santanna, mãe de Gilberto, que também já viu o filme.

O documentário da diretora Samantha Stark fala sobre o sucesso mundial da cantora e a briga judicial que ela trava com o pai, que tem a sua tutela desde 2008.

Depois da exibição do filme no “BBB 21”, memes com Caio indignado falando sobre o doc com vários brothers pipocaram nas redes. A reação do brother é parecida com a do público aqui fora, que costuma reagir a esse tipo de produção e travar debates sobre a intimidade de seus ídolos.

— Perfis de qualidade sobre celebridades, com detalhes de suas vidas e carreiras, despertam inegável interesse desde sempre. Além de investirmos em produções originais Globoplay, também trazemos grandes títulos que estão gerando conversa em todo o mundo. É o caso desse da Britney. Mantemos contato com o público por meio de pesquisas, análise de dados e nossos canais, além de uma área de curadoria — explica Ana Carolina Lima, diretora de conteúdo do Globoplay, adiantando ainda que os documentários sobre as cantoras Ludmilla e Lexa, além de “Meu amigo Bussunda”, sobre o ex-Casseta, estarão no catálogo da plataforma até o meio do ano.

Além desses artistas, outros cantores estão ganhando obras sobre suas vidas e suas fragilidades por trás do mundo da fama. A luta contra as drogas, por exemplo, está presente nos documentários de Chorão e Demi Lovato. Este ano, também foi lançado “Billie Eilish: the world’s a little blurry”, na AppleTV+. Para maio, está previsto ainda “Pink: all I know so far”, na Amazon Prime Video, sobre a cantora Pink.

Demi e suas dores mais profundas

A série documental sobre a cantora Demi Lovato estreou esta semana em seu canal no YouTube. “Demi Lovato: Dancing with the Devil” passa por temas como a sua dependência química e os abusos sexuais que sofreu. Dividida em quatro episódios, a produção parte do ano de 2018, quando ela teve uma overdose e quase morreu. Os relatos são fortes e têm emocionado os fãs. Além de Demi, há participações de parentes e amigos dela.

Retrato dos dias de luta e de glória

O documentário “Chorão: marginal alado’’ estreia dia 8 de abril nos cinemas e nas plataformas Now, Google Play, Apple TV+, Vivo Play, Looke e YouTube. O filme traça um retrato íntimo da vida do vocalista da banda Charlie Brown Jr., que morreu por overdose em 2013. O roteiro passa pela relação dele com os fãs, ações de solidariedade promovidas pelo cantor e traz depoimentos dos outros integrantes da banda, incluindo o baixista Champignon, morto poucos meses depois dele.

Pacote com Sinatra e outros

O sucesso do gênero é tão grande que, no último mês, o Globoplay lançou um pacote de documentários sobre personalidades que marcaram a história do mundo de diferentes maneiras, e não só no universo da música. Entre as novidades já disponíveis para o público estão a trajetória do cantor Frank Sinatra, do líder indiano Mahatma Gandhi, do gângster norte-americano Al Capone, do líder revolucionário argentino Che Guevara, além da escritora francesa Simone de Beauvoir e do autor do clássico “O pequeno príncipe”, Antoine de Saint-Exupéry.