Doença de Crohn: entenda a condição que afeta o protagonista de ‘Todo mundo odeia o Chris’

O ator Tyler James Williams, conhecido por interpretar Chris na série de comédia “Todo Mundo Odeio o Chris” contou que luta contra uma doença autoimune chamada de doença de Crohn, que causa inflamação em diversas partes do sistema digestivo. O astro por exemplo diz que chegou a pesar 47 quilos e precisou tirar 15 centímetros do intestino grosso em razão da condição.

'Estava parando de funcionar’: jovem sente dores no estômago e descobre que só tinha 16% de coração

'Janeiro seco': conheça os benefícios de interromper o consumo de álcool por um mês

Segundo o ator, ele começou a sentir os primeiros sintomas em 2017, quando teve muita dor de estômago e não conseguia engolir nada que ingeria. Ele chegou a ficar cinco dias sem comer nada. Ao buscar ajuda, ele descobriu uma obstrução no intestino e passou por uma cirurgia de emergência. O irmão do ator, Tylen, também descobriu ter a mesma doença.

O que é a doença de Crohn?

A Doença de Crohn é uma doença inflamatória grave que acomete o trato gastrointestinal, afetando principalmente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon), entretanto, pode acometer outras partes do corpo desde a boca até o ânus. Não se sabe qual é a causa exata da doença, mas cientistas acreditam que possivelmente seja provocada por uma desregulação do sistema imunológico, ou seja, o sistema de defesa do paciente.

Estudos têm sido realizados para identificar se a doença é hereditária. Sabe-se que existe uma tendência da apresentação mais frequente em membros de uma mesma família em que já se registram casos dessa doença, como é no caso dos irmãos Tyler e Tylen.

Sintomas

A doença de Crohn habitualmente começa com diarreia e cólica abdominal que pode ser acompanhada de febre. Em alguns casos pode ter também sangramento retal. Perda de peso e perda de apetite são alguns dos sintomas encontrados na condição. Normalmente a diarreia e a dor abdominal costumam surgir depois das refeições e elas podem se desenvolver lentamente ou começar de maneira súbita, podendo haver também dores articulares e lesões na pele.

Outros sintomas precoces da doença de Crohn são lesões da região anal, incluindo hemorroidas, fissuras, fístulas e abscessos.

Há também uma classificação que os médicos costumam fazer, visto que a evolução da doença é imprevisível e pode ocorrer de maneiras distintas para cada paciente.

Em São Paulo: laboratório identifica primeiro caso brasileiro da XBB.1.5, a variante mais transmissível da Covid-19

De leve a moderada é quando a pessoa tem diarreia frequente e dor abdominal, mas pode andar e comer normalmente. Não está desidratado, nem tem febre alta. Também não sente dor abdominal forte, obstrução ou perda de peso de mais de 10%. O quadro de saúde se agrava para moderada a grave quando o paciente tem sintomas mais evidentes como febre, perda de peso significativa, dor abdominal ou sensibilidade, náusea e vômitos intermitentes ou anemia significativa.

O último estágio é o fulminante. Os sintomas persistem apesar de ter passado pelo tratamento adequado. O paciente tem também evidências de obstrução intestinal ou abcesso, além de perda de peso mais grave.

Diagnóstico

A doença tem sido historicamente difícil de diagnosticar, já que os sintomas variam em cada paciente e se confundem com outras doenças infecciosas do intestino. Não há também um exame especifico para o diagnóstico, podendo ser feito através de endoscopias, raio-X ou exames de sangue.

O diferencial neste caso é a relação entre o paciente e o médico. Para chegar ao diagnóstico, o médico precisa ouvir todos os sintomas, conhecer o histórico do paciente, fazer exames físicos e solicitar testes clínicos. Depois de avaliar todos esses elementos, em conjunto, o médico poderá avaliar e chegar a uma conclusão.

Tratamento

O tratamento para a doença de Crohn deve ser feito em etapas e de acordo com a gravidade do quadro. Existe um sistema de mensuração da atividade da doença baseado no número de evacuações, dor abdominal, indisposição geral, ocorrência de fístulas e de manifestações patológicas à distância.

Dependendo do quadro, se é leve, moderado ou grave, os médicos vão saber qual é o melhor caminho de tratamento para adotar. O uso de medicamentos, por exemplo, reduz a inflamação e controlam os sintomas, mas não curam a condição. Podem ser usados aminossalicilatos, corticoides, antibióticos, imunossupressores e terapia biológica.

Renatinho Bokaloka: entenda as causas de infarto em pessoas jovens, como o cantor

A cirurgia também pode ser um tratamento necessário dependendo da gravidade da doença ou quando o tratamento clínico não for suficiente no controle dos sintomas. O procedimento cirúrgico pode permitir ao paciente permanecer livre de sintomas, mas não objetiva a cura da doença de Crohn, já que pode ocorrer a recidiva.

A doença de Crohn não tem cura. E apesar de ser uma enfermidade crônica e grave, não é considerada fatal. A maioria dos pacientes com a condição tem uma vida útil, produtiva e saudável.

Dieta

O ator Tyler James Williams e o irmão precisaram mudar a rotina de alimentação. Ambos pararam de beber café, comer carne vermelha, entre outros alimentos. Shakes e suco verde integram o cardápio diário, junto com proteína magra e legumes cozidos no vapor no almoço e no jantar.

Disfunção erétil: cientistas chineses criam pênis 'biônico' que promete ser usado contra a condição

Os médicos pedem para evitar alimentos ricos em fibras, frituras e fermentados, ou que ajudem a soltar o intestino. Entretanto, cada fase da doença e tipo de organismo responde à dieta de uma forma diferente e as recomendações devem ser individualizadas.