Dogecoin dispara 40% e bate novo recorde; supera valor de Adidas e Ferrari

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Reprodução
Reprodução
  • Dogecoin segue em disparada.

  • Moeda acumula 40% de valorização em 24 horas.

  • Valor de mercado já supera o de Adidas e Ferrari.

A criptomoeda Dogecoin viu seu preço disparar no início desta semana, acumulando nas últimas 24 horas quase 40% de valorização, segundo dados da Coindesk.

Leia também:

A alta fez a cripto renovar sua máxima histórica, que era de US$ 0.47. Agora, a moeda é cotada a US$ 0.55.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A capitalização do mercado de Dogecoin já atinge os US$71.19 bilhões. Para se ter uma ideia, a soma é maior que o valor de mercado de empresas consolidadas como a fabricante de roupas e materiais esportivos Adidas, de US$ 49.7 bilhões. A montadora italiana de carros esportivos Ferrari ficou pra trás da Doge, também, com seu valor de mercado de US$ 51.4 bilhões.

Um dos motivos da alta é que a corretora eToro passou a listar a moeda para negociações, a pedido de usuários. Outra razão atende pelo nome de Elon Musk, o bilionário dono da Tesla.

Musk costuma falar no Twitter sobre seu fascínio pela moeda, e chegou a dizer que planeja levar uma unidade física da mesma para a lua, em uma viagem de sua empresa SpaceX.

Mas os especialistas alertam que uma valorização tão repentina pode ser também indício de uma bolha. Como o valor da unidade da dogecoin é bem menor que o do bitcoin, por exemplo, isso pode surtir um efeito psicológico sobre investidores menores, que acreditam que pode ser mais vantajoso – apesar de no fim, o dinheiro usado para comprar frações de uma moeda ser o mesmo independente do seu preço.

Analistas ouvidos pela rede de notícias Bloomberg alertam também que essa tendência de rápida valorização também pode atrair mais investidores à procura apenas de ganhos rápidos no curto prazo, cenário que propicia o surgimento de bolhas.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube