Dois anos após chamar problema de bizarro, Doria tenta resolver acesso para Cumbica

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Quase dois anos e meio depois que João Doria chamou de "bizarra" a falta de conexão entre a estação de trem da CPTM e o aeroporto de Guarulhos, lacuna deixada por seu antecessor Geraldo Alckmin, o governo do tucano ainda tenta evitar que o mandato acabe sem resolver o problema.

A promessa de eliminar a bizarrice, que não tinha solução tão fácil, travou em Brasília e entrou na disputa política do governador com Bolsonaro.

Na sexta (30), Doria marcou reunião com o ministro do TCU Vital do Rêgo, o presidente da concessionária GRU Airport, Gustavo Figueiredo, e o da Anac, Juliano Noman.

Os secretários Alexandre Baldy (Transportes Metropolitanos) e Mauro Ricardo (Orçamento e Gestão) também foram chamados para o encontro, que levantou expectativas no setor enquanto o tempo corre elevando a tensão por um desfecho.