Dois candidatos com ‘Lula’ e ‘Bolsonaro’ foram eleitos neste ano

Candidatos usaram nas urnas nomes dos principais postulantes à presidência (AP Foto/Eraldo Peres)
Candidatos usaram nas urnas nomes dos principais postulantes à presidência (AP Foto/Eraldo Peres)

Dezessete candidatos a deputado estadual pleitearam vagas pelo País acrescentando na urna os nomes do ex-presidente Lula (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (PL). Desses, apenas dois foram bem sucedidos: Carlos Eduardo Lula (PSB), do Maranhão, e Valeria Bolsonaro (PL), de São Paulo.

Carlos obteve 80.828 votos e Valéria, 131.557.

Além do parlamentar eleito no Maranhão, outras quatro pessoas adicionaram ‘Lula’ ao próprio nome na urna: Alberto Inácio Lula (PT-MS); Lula do Assentamento (PT-RO); Lula Rodrigues (PTN-MS); e Luiz Henrique Lula (MA-PT).

Já os não eleitos com ‘Bolsonaro’ foram 11:

  • Leo Índio Bolsonaro (PL-DF) - deputado distrital

  • Cristina Bolsonaro (PP-DF) - deputada distrital

  • Kelly Bolsonaro (Republicanos-DF) - deputada distrital

  • Fão do Bolsonaro (Republicanos-PR)

  • Spitz Bolsonaro (PSC-MG)

  • Ruy Irigaray Bolsonaro (União Brasil-RS)

  • Jorgito Bolsonaro (PRTB-MG)

  • Bebe Bolsonaro (PP-AC)

  • Bolsonaro Sergipano (Patriota-SE)

  • Rafa Apoiadores do Bolsonaro (PL-RJ)

  • Chris Col Bolsonaro Nunca Mais (PSOL-RS)

O levantamento foi feito pelo portal G1 que não entrou em contato com os candidatos para perguntar sobre o alinhamento deles com os dois candidatos à presidência da República.

Carlos Eduardo Lula já tem vida pública no Maranhão. Ele foi secretário estadual de Saúde no estado e eleito, em 2018, como vice-presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) para o Nordeste. Foi reconduzido ao cargo no ano seguinte e, em 2020, assumiu a presidência do órgão.

O parlamentar eleito é advogado, consultor legislativo de carreira e professor universitário.

Valéria Bolsonaro é professora formada em Biologia. Ela foi reeleita para o cargo e é casada com Luís Oscar Bolsonaro, primo do atual chefe do Executivo Nacional que tenta retornar à presidência em 2023.

Nas redes sociais, ela se apresenta como defensora da inclusão de pessoas com deficiência e do combate ao câncer, além de militar em favor dos valores da família e cristãos.

Qual a data do segundo turno das Eleições 2022?

O segundo turno será disputado no dia 30 de outubro, último domingo do mês. Assim como no primeiro turno, o horário em que os colégios eleitorais estarão abertos para receber os eleitores será das 8h às 17h no horário de Brasília. Locais com fuso diferentes do da capital deverão adaptar seus horários para que o encerramento em todo o país seja simultâneo.

Quais cargos serão votados no segundo turno das Eleições 2022?

Em estados nos quais houver necessidade, haverá disputa para governador. Todos os estados e o Distrito Federal votarão para presidente da República.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica no segundo turno das Eleições 2022

  1. Governador (dois dígitos)

  2. Presidente da República (dois dígitos)

Presidente: qual a função que esse cargo exerce?

O presidente da República exerce a função de chefe do poder Executivo e de chefe do Estado (autoridade máxima) de forma simultânea em uma nação cujo sistema de governo é denominado presidencialismo.

Como chefe do poder Executivo, o presidente é responsável pelas ações e decisões cotidianas da política brasileira.

Por exemplo: como criar políticas públicas e programas governamentais, como gerir a administração federal, sugerir novas leis, dentre outras atividades. Já como chefe de Estado, o presidente é o representante máximo do país que o elegeu perante o mundo.

Governador: qual a função que esse cargo exerce?

O governador é representante do Poder Executivo, com objetivo de governar o povo e conduzir os interesses públicos de cada estado.

Assim, a função do governador é comandar de forma completa o estado e representá-lo em ações jurídicas, políticas e administrativas. Ele também defende todos os interesses e necessidades do estado para com o presidente da República.

O Poder Executivo estadual também possui a função de articulação política com o governo federal, bem como com os municípios que integram o estado.

O que está sob a gestão dos governadores?

  • Segurança pública Uma das maiores responsabilidades do governador estadual é a segurança pública, envolvendo o total controle das Polícias Civil e Militar e a construção e administração de presídios.

  • Saúde – Está na alçada do governador criar as políticas de saúde estaduais e organizar o atendimento todo o atendimento de saúde, construindo e mantendo hospitais e instalações – laboratórios, centros de doação de sangue e centros de atendimento complexo (hospitais do câncer, por exemplo).

  • Educação No quesito educacional, o principal foco do governador costuma ser o ensino médio, hoje considerada a mais problemática das etapas do ensino formal brasileiro.

  • Definir o orçamento estadual – Os documentos orçamentários são de responsabilidade do governador estadual. Eles visam fomentar o planejamento de curto e médio prazo do estado, trazendo mais transparência ao uso dos recursos públicos.

  • Infraestrutura estadual – A responsabilidade sobre toda a infraestrutura é mantida na alçada do governador estadual. Rodovias e portos, por exemplo, precisam receber cuidados do governo.

  • Adquirir investimentos federais para estados e municípios – Para viabilizar projetos de grande porte, tanto o estado quanto os municípios dependem de investimentos vindos do governo federal. Para isso, o governador é importante e peça-chave na articulação política entre União, estado e municípios.