Dois civis e um guerrilheiro morreram em combates entre Exército e Farc na Colômbia

Soldados colombianos são vistos na área rural do departamento de Cauca, em 15 de abril de 2015

Pelo menos três pessoas morreram, entre eles um guerrilheiro e dois civis, enquanto mais dois ficaram feridos em combates entre forças de segurança e guerrilheiros das Farc no departamento colombiano de Caquetá, informou este domingo o Exército em um comunicado.

O informe identificou o rebelde abatido pelo codinome 'Jaimito', apontado como "um dos principais extorsores de comerciantes, fazendeiros e camponeses na região de San Vicente del Caguán (Caquetá)".

O enfrentamento aconteceu em Barrialoza, onde tropas da Brigada Móvel 36 mantiveram combates com membros da Coluna Teófilo Forero das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

De acordo com comunicado, no confronto duas pessoas ficaram feridas e duas outras perderam a vida, apesar da assistência humanitária garantida pelas tropas que chegaram ao local.

Codinome 'Jaimito' é acusado por diversos delitos entre eles o sequestro e o assassinato do governador de Caquetá, Luis Francisco Cuellar em dezembro de 2009 e do sequestro dos cidadãos chineses Zhau Hong, Jing e Tang Guo Fu da petroleira britânica Emerald Energy em junho de 2011, na mesma região.

As tropas oficiais mantêm uma intensa ofensiva contra as estruturas das Farc desde a última quinta-feira, em operações que custaram a vida de 26 rebeldes no departamento de Cauca e de mais 10 no sábado em Antioquia.

O governo e o grupo armado mantêm negociações de paz desde 2012 em Cuba, sem que tenham acordado um cessar-fogo bilateral, porque o presidente Juan Manuel Santos considera que isso poderia ser usado pela guerrilha para fortalecer-se.

O conflito armado colombiano deixou oficialmente pelo menos 220.000 mortos e mais de seis milhões de deslocados.