Novo primeiro-ministro da Etiópia faz remodelação no governo

Adis Abeba, 19 abr (EFE).- O novo primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, efetuou nesta quinta-feira uma ampla remodelação do governo, com a designação de 16 novos ministros, dos quais dez entram pela primeira vez no gabinete.

O novo Executivo inclui quatro mulheres, número superior ao de governos anteriores, que assumem os ministérios de Trabalho e Assuntos Sociais; Crianças e Mulheres; Comunicações e Tecnologia; e Cultura e Turismo.

No novo gabinete, formado por 29 pastas ministeriais aprovadas hoje pelo Parlamento, se destaca a nomeação do até agora embaixador na União Europeia (UE), Teshome Toga, como ministro de Empresas Públicas, ressaltou a imprensa local.

O primeiro-ministro fez mudanças em ministérios importantes como o das Relações Exteriores, que continua com Workneh Gebeyehu à frente, assim como era com o primeiro-ministro anterior, Hailemariam Desalegn, que anunciou sua renúncia em fevereiro.

Em um comparecimento diante do Parlamento, onde a maioria das 547 cadeiras pertence à coalizão governante, a Frente Democrática Revolucionária Etíope (EPRDF), o chefe do Executivo lançou várias advertências aos seus ministros.

"Os cidadãos querem serviços rápidos sem necessidade de chamar funcionários que conhecem e sem atrasos devido a reuniões desnecessárias e outras desculpas", ressaltou o primeiro-ministro, de 41 anos.

"Os senhores também devem combater a corrupção de forma estrita e evitar o desperdício de dinheiro do governo em viagens desnecessárias", disse o líder, ao apontar o nepotismo, a corrupção e a má administração como "linhas vermelhas" que não devem ser ultrapassadas.

Também houve hoje mudanças na Câmara de Representantes dos Povos, onde a ex-ministra Muferihat Kamil se tornou a primeira mulher a ocupar sua presidência.

Abiy assumiu o cargo de primeiro-ministro no último dia 2 e se tornou o terceiro chefe de governo do país em quase três décadas. EFE

or/cs