Dois em cada cinco donos de PMEs são entusiastas do Pix pelo imediatismo das transações, diz pesquisa

Patricia Valle
·2 minuto de leitura
Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil / MArcello Casal Jr/Agência Bras
Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil / MArcello Casal Jr/Agência Bras

Dois em cada 5 (41%) donos de micro, pequenos e médios negócios do Brasil são entusiastas do Pix, o novo sistema de transferências e pagamentos do Banco Central, pelo imediatismo das transações, segundo uma pesquisa encomendada pela Intuit QuickBooks, fintech americana desenvolvedora de software de gestão para pequenas empresas e escritórios contábeis.

A pesquisa foi feita com 1190 micro, pequenos e médios empreendedores de todo o país entre 09 e 19 de outubro, e mostrou também que 40% dos empreendedores são atraídos pela possibilidade de pagar menos ou ficar isentos de tarifas.

Por outro lado, 3 em cada 10 empresários demonstram preocupação com algum tipo de vazamento de informação. Dos entrevistados, 23% temem não saber quem responsabilizar em caso de problemas e 17% tem medo de sofrer algum tipo de golpe ao utilizar o Pix. Outros 15% identificam outra barreira antes de apostar no sucesso do Pix: não são adeptos do uso de novas tecnologias.

A pesquisa também revelou que 76% deles sabem o que é o Pix e 72% acertaram o período em que o sistema vai começar a funcionar. Os números saltam para 92% quando são levados em conta somente os pequenos e médios negócios.

Os dados da Intuit ainda destacam que 85% dos consultados acredita que o Pix vai ser um sucesso. Os motivos mais citados pelos 15% que não acreditam no êxito do sistema são desconfiança por causa dos spreads bancários e possibilidade de tarifas mais altas, medo do mix formado pela ação dos fraudadores e falta de investimento em segurança, além de adesão abaixo do imaginado e instituições desinteressadas na novidade em poucos meses.

Atualmente, as transferências bancárias convencionais, TED e DOC, lideram o ranking das formas mais utilizadas para o pagamento de todos os tipos de despesas com o negócio com 76%. A lista ainda conta com 13% de adesões aos links de pagamentos, 12% de utilização de dinheiro vivo para saldar as pendências, 12% de pagamentos por portais e 3% em cheques.

A pesquisa mostra que 92% dos consultados paga algum tipo de tarifa mensal para instituições financeiras para realizar transferências bancárias.

— Para uma pequena empresa, deixar de ter essa despesa mensal, por menor que ela seja, pode representar uma economia significativa ao longo do ano — afirma Lars Leber, country manager da Intuit QuickBooks no Brasil, que acredita que uma das principais vantagens do Pix é oferecer para os usuários um serviço de pagamento mais barato e com mais velocidade.

Na outra ponta do negócio, os empreendedores têm recebido a maior parte das receitas, 33%, via transferências bancárias. 19% costuma receber prioritariamente por boletos, 17% pelo cartão de crédito, 13% em dinheiro, 11% no cartão de débito, 7% em cheque e menos de 1% pelos links de pagamentos.