Dois fugitivos são capturados após sequestrar ônibus no interior de SP

ALFREDO HENRIQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Dois presidiários foram presos em Valinhos (84 km de SP), por volta das 8h30 desta terça-feira (17), após sequestrarem um ônibus rural, na cidade de Rafard (138 km de SP). Quatro pessoas estavam dentro do veículo. Eles usaram o veículo para fugir.

Os dois tinham escapado, na tarde desta segunda-feira (16), do CPP (Centro de Progressão Penitenciária) de Porto Feliz (117 km de SP) . Centenas de presos fugiram de unidades prisionais, na tarde desta segunda, no interior e litoral paulistas. Até às 13h30 desta terça-feira (17), 526 detentos haviam sido capturados pela polícia.

Outros oito criminosos, que também fugiram do CPP de Porto Feliz e ajudaram no sequestro do ônibus, permanecem foragidos até a publicação desta reportagem.

O inspetor Márcio Frizarin, comandante da GM (Guarda Municipal) de Campinas, disse que os 11 presidiários caminharam cerca de nove quilômetros, após fugirem, até chegar ao local no qual o veículo estava.

Dentro do ônibus havia dois motoristas e dois trabalhadores rurais, que aguardavam colegas de trabalho para irem até uma plantação de cana-de-açúcar da região.

Os criminosos, acrescentou o inspetor, ameaçaram as vítimas com uma espingarda calibre 16, de cano duplo, uma faca, e uma pistola usada para aplicar vacina em gado.

"A espingarda estava suja de terra, com o cano entupido. Isso indica que alguma visita informou onde a arma estava enterrada, para os criminosos poderem usá-la após a fuga", afirmou o comandante.

Após render as vítimas, os presidiários seguiram com o veículo pela rodovia Anhanguera. Frizarin afirmou que oito criminosos desembarcaram em Americana (127 km de SP) e um em Campinas (93 km de SP). Durante o trajeto, um dos motoristas foi obrigado a pagar o pedágio. Os celulares das vítimas foram levados pelos bandidos.

O veículo foi monitorado e ajudou a GM a encontrá-lo. Quando o ônibus entrou em Valinhos, foi abordado, as vítimas liberadas e a dupla de presidiários presa.

Os criminosos foram indiciados por roubo e cárcere privado. Um deles, segundo a polícia, conta com quatro passagens por roubo e, o outro, por roubo e porte ilegal de arma. A identidade de ambos não foi informada.