Dois jurados são descartados para o julgamento pela morte de George Floyd

·1 minuto de leitura
Bridgett Floyd passa em frente a mensagens de manifestantes ao final do primeiro dia do julgamento sobre o assassinato do seu irmão George Floyd pelo ex-policial Derek Chauvin, em Minneapolis, Minnesota, 8 de março de 2021

O juiz responsável pelo caso do policial que enfrenta acusações de assassinato pela morte de George Floyd no estado americano de Minnesota descartou, nesta quarta-feira (17), dois membros do júri.

O magistrado do condado de Hennepin, Peter Cahill, liberou os dois membros do júri depois que eles disseram que souberam do acordo de "morte por negligência" de 27 milhões de dólares alcançado na semana passada entre a família Floyd e a cidade de Minneapolis.

O acordo foi anunciado na sexta-feira, depois que os sete membros do júri já haviam sido selecionados para o julgamento de Derek Chauvin, um policial branco acusado de assassinato e homicídio involuntário pela morte de Floyd, um homem negro de 46 anos.

Os dois membros do júri disseram durante o interrogatório do juiz que ouviram falar do acordo e que isso afetaria sua capacidade de serem imparciais no caso.

"Enviou a mensagem de que a cidade de Minneapolis sentia que algo ia mal e queria consertar com essa quantidade de dólares", disse um membro do júri.

Os sete membros do júri já foram selecionados para o julgamento de alto nível e são necessários outros sete antes do início.

As declarações de abertura estão previstas para começar em 29 de março.

cl/wat/mps/dga/aa