Dois meses antes de ser morta pelo ex, cabeleireira festejou nascimento de filha do casal: 'Pessoa mais feliz do mundo'

Morta a tiros pelo ex-companheiro na manhã desta terça-feira, a cabeleireira Sarah Jersey Nazareth Pereira, de 23 anos, havia se tornado, apenas dois meses antes, "a pessoa mais feliz do mundo", como ela própria contou nas redes sociais. No dia 22 de maio, ao anunciar o nascimento da segunda filha que teve com Queven da Silva e Silva, de 26 anos — justamente o homem que viria a assassiná-la —, a jovem descreveu a "experiência incrível":

'Ele a ameaçava todo dia': 'Ela só queria se livrar desse homem'', diz mãe de cabeleireira morta a tiros em casa

Veja mais detalhes: Mulher é morta a tiros ao lado dos filhos no Centro do Rio; ex-marido é o principal suspeito

"Às 2h05 da manhã, me tornei a pessoa mais feliz do mundo. Que experiência incrível foi ver meu tesouro vir ao mundo. Grata a Deus! Meu amor maior: Maria Alice", escreveu Sarah no Instagram.

A bebê de dois meses estava ao lado da mãe quando ela foi executada, assim como um irmão mais velho, de 4 anos. A família morava na Rua Tadeu Kosciusko, esquina com a Rua Riachuelo, no Centro do Rio. Morador do Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, Queven possui 47 anotações criminais, incluindo roubo, tráfico de drogas e homicídio, e estava foragido da Justiça do Rio desde 2016. Contra, ele havia pelo menos oito mandados de prisão em aberto.

Após fuga: Suspeito de matar a ex-mulher a tiros é resgatado pela PM amarrado por traficantes em favela

No quarto onde estava Sarah, peritos da Polícia Civil encontraram 16 cápsulas de pistola. Após o crime, o ex-companheiro da cabeleireira fugiu, mas foi localizado e preso nas imediações do Morro dos Prazeres.

— Os traficantes souberam do fato. Ele foi pego e estava amarrado na entrada do morro. O tribunal do tráfico não aceitou. Iriam matá-lo. Uma viatura do Bairro Presente do 5º BPM (Praça da Harmonia) soube e o salvou — relatou o porta-voz da Polícia Militar, o tenente-coronel Ivan Blaz.

De acordo com policiais da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), que estiveram no local, o rapaz teria chegado à casa da vítima por volta de 4h20 e feito três disparos para cima. Ao entrar na casa, Queven atirou diversas vezes contra a mulher, que morreu na hora.

Mais um caso: Mulher é encontrada morta a facadas em Niterói; ex-companheiro é o principal suspeito

Uma pessoa que mora perto da casa onde a cabeleireira foi assassinada diz que escutou os disparos e viu a irmã da vítima correndo pela região para não ser morta. A testemunha disse também que a irmã ainda gritou para um rapaz em situação de rua fugir para não ser alvejado.

— Ele já tinha matado a mulher e foi atrás da irmã. Foi muito tiro. Uma coisa assustadora — descreveu o vizinho.

Chefe da Delegacia da Mulher é investigado: Companheira acusa agente de atacá-la com tapas

Testemunhas contaram que há aproximadamente dois meses Queven já havia tentado matar a ex-companheira com uma facada no pescoço. Na ocasião, Sarah ficou internada por alguns dias no Hospital Municipal Souza Aguiar.

Sarah vai ser enterrada nesta quarta-feira, no Cemitério do Catumbi, na Região Central do Rio. O velório começa às 11h, e o sepultamento está previsto para 16h. Parentes da jovem pedem que os presentes no adeus à cabeleireira usem "roupas claras ou coloridas".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos