Dois mortos em queda de ponte na França

Por Alexandre PEYRILLE
Equipes de resgate trabalham em busca de vítimas na queda de uma ponte perto de Toulouse, no sudoeste da França, 18 de novembro de 2019

Duas pessoas, incluindo um adolescente de 15 anos, morreram nesta segunda-feira (18) na queda de uma ponte suspensa de metal no sudoeste da França, um acidente que alimentou o debate no país sobre o estado dessas estruturas, muitas delas antigas e incapazes de suportar veículos pesados.

As causas do acidente são desconhecidas, disse o governo, que anunciou a abertura de uma investigação.

No momento, especula-se que um dos veículos acidentados, "a princípio um veículo pesado", pode ter causado a queda da estrutura, onde era proibido o tráfego de caminhões acima de 19 toneladas.

"Nenhuma hipótese pode ser confirmada", disse o secretário de Estado do Interior, Laurent Nuñez, que acompanha os fatos no local.

Uma adolescente de 15 anos, moradora de Mirepoix-sur-Tarn, onde ocorreu a tragédia, morreu quando o veículo que sua mãe estava dirigindo caiu na água, junto com um caminhão. Sua mãe foi resgatada por testemunhas do acidente, segundo o promotor de Toulouse Dominique Alzéari.

O corpo do motorista do caminhão foi encontrado no final da tarde, preso na cabine do veículo, disse o prefeito de Mirepoix, Eric Oget.

Além disso, há três feridos graves, incluindo testemunhas que tentaram ajudar as vítimas e dois bombeiros com ferimentos leves.

A ponte que desabou une as cidades de Mirepoix-sur-Tarn e Bessières, localizadas ao norte da cidade francesa de Toulouse.

O caminhão, que já foi encontrado, carregava guindastes e é um veículo "pesado", disse Eric Oget.

A ponte, construída em 1931, foi vistoriada e recebeu obras de manutenção adequadas, de acordo Oget, acrescentando que não apresentou "nenhum problema em sua estrutura" na última inspeção realizada em 2017.

"Também não ocorreu nenhum fenômeno meteorológico recente" que possa ter provocado de alguma maneira este acidente, segundo Oget.

"Essas pontes são proibidas para veículos acima de 19 toneladas, mas geralmente acontece de caminhões mais pesados não respeitarem", disse outra autoridade regional, Jean-Marc Dumoulin.

- "Ônibus escolares" -

Esta tragédia "infelizmente ilustra" as conclusões de uma comissão de senadores sobre a falta de segurança das pontes na França. Para o presidente desta comissão, Hervé Maurey, o problema é que "o estado das pontes no país não é realmente conhecido".

Os senadores pediram em seu relatório auditorias e um plano de investimentos "para evitar um drama".

A ponte, de 155 metros de comprimento e 6,5 metros de largura, não estava na lista de infraestruturas que provocavam o medo das autoridades, de acordo com o governo local.

"Usamos essa ponte todos os dias. Não pode ser que algo assim tenha acontecido! Os ônibus escolares acabaram de atravessar a ponte. Meu filho mais velho havia acabado de passar para ir à escola", afirmou Audrey Laujac, que mora a 100 metros do local.

O Senado francês criou a comissão sobre as pontes após o desabamento do viaduto de Gênova, na Itália, em 14 de agosto de 2018, um acidente que matou 43 pessoas