Dois porta-aviões dos EUA entram no Mar do Sul da China para "conter influência maligna"

·1 min de leitura
Porta-aviões norte-americano USS Carl Vinson atraca em porto em Danang, no Vietnã

TAIPÉ (Reuters) - Dois porta-aviões dos Estados Unidos entraram no disputado Mar do Sul da China para treinamento, afirmou o Departamento de Defesa dos EUA no domingo, no que um comandante sênior afirmou ter o objetivo de reconfortar aliados e demonstrar determinação para "conter influência maligna".

As águas em disputa são uma das muitas áreas de tensão entre Estados Unidos e China, que reivindica uma grande parte delas e construiu bases militares em ilhas artificiais.

Navios da Marinha dos EUA rotineiramente passam perto dessas ilhas para desafiar as reivindicações de soberania da China, para a irritação de Pequim.

Os porta-aviões realizarão exercícios que incluem operações de guerra anti-submarino, operações de guerra aérea e operações de interdição marítima para fortalecer a prontidão de combate, disse o Departamento de Defesa dos EUA, em comunicado.

O treinamento será conduzido de acordo com leis internacionais para águas internacionais, acrescentou o Departamento de Defesa, sem dar mais detalhes.

A notícia da nova operação norte-americana coincide com Taiwan relatando a mais recente incursão em massa da Força Aérea da China à sua zona de identificação de defesa aérea, em uma região perto das Ilhas Pratas, controladas por Taiwan, no extremo norte do Mar do Sul da China.

(Reportagem de Ben Blanchard)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos