Dois soldados americanos mortos no Iraque em combates com o EI

Um soldado dos EUA, parte da intervenção militar internacional contra o grupo Estado Islâmico, está em uma base militar em Rumaylan (Rmeilan), na província de Hasakeh, no nordeste da Síria

Dois soldados americanos que lutavam contra o grupo Estado Islâmico (EI) no Iraque morreram durante uma operação conjunta com as forças iraquianas, informou a coalizão antijihadista.

"Dois membros do exército americano foram mortos pelas forças inimigas durante uma operação que tinha como objetivo eliminar um líder terrorista do EI em uma zona montanhosa do centro-norte do Iraque, em 8 de março", afirma a coalizão em um comunicado.

Os nomes dos mortos não foram mencionados, mas o texto destaca que "assessoravam e acompanhavam as forças de segurança iraquianas".

A coalizão antijihadista liderada pelos Estados Unidos proporciona formação e apoio aéreo às forças iraquianas desde 2014, quando o EI assumiu o controle de grande parte do norte do Iraque e da Síria em uma rápida ofensiva.

O grupo declarou um "califado" entre os territórios dos dois países, onde impôs uma versão radical e brutal da lei islâmica.

As forças iraquianas, apoiadas pela coalizão, conseguiram expulsar os jihadistras sobretudo dos centros urbanos em uma vasta operação, declarada como uma vitória em dezembro de 2017.