Dois suspeitos morrem após confronto com a PF durante operação contra tráfico de drogas

Dimitrius Dantas

SÃO PAULO — Dois suspeitos morreram durante a deflagração de uma operação da Polícia Federal contra o tráfico internacional de drogas. Segundo a corporação, a principal base de atividades do grupo investigado era dentro do Aeroporto de Viracopos, em Campinas.

As investigações, que começaram no ano passado, identificou suspeitos de exportar grandes quantidades de cocaína a partir do aeroporto, com destino à Europa. A PF também mapeou o esquema de lavagem de dinheiro adotado pela quadrilha. Os investigados aliciavam funcionários do aeroporto para conseguir enviar as drogas, sobretudo prestadores de serviços na área restrita de segurança do aeroporto.

De acordo com a PF, vigilantes, operadores de tratores, coordenadores de tráfego, motoristas de viaturas, auxiliares de reampa, operadores de equipamento e funcionários de empresas fornecedores de refeições para tripulantes e passageiros foram aliciados. Além deles, um policial militar e um policial civil também foram corrompidos.

Durante a deflagração da operação, segundo a Polícia Federal, dois suspeitos morreram após confronto com policiais federais.

O nome da operação, Overload, vem do termo inglês empregado para excesso de carga ou carga excessiva, com alusão à droga ilícita inserida clandestinamente nos aviões em meio a carga regular.

Ao todo, mais de 200 policiais federais, 80 policiais militares e 6 policiais civis participam do cumprimento de 44 mandados de busca e apreensão e 35 mandados de prisão temporária, em 4 estados do país.