Dois suspeitos são identificados pelo crime de brasileiro sequestrado e morto com outras duas pessoas no Paraguai

·1 min de leitura

ASSUNÇÃO — Dois suspeitos já foram identificados pela Polícia do Paraguai pela morte de um proprietário de terra e dois trabalhadores, um deles de nacionalidade brasileira. Os três foram sequestrados, nesta terça-feira, e assassinados em uma região agrícola no centro do Paraguai, a cerca de 200 quilômetros da capital Assunção.

Mesmo com o pagamento do resgate feito pela família do agricultor Helmut Ediger, de 74 anos, ele e seus funcionários, o brasileiro Odair dos Santos e o paraguaio Rolando González, foram encontrados mortos na colônia menonita de Friesland, situada nas imediações de Itacurubí del Rosario. Eder Cordeiro Machado, de 18 anos, conseguiu fugir dos sequestradores. Foi ele quem deu as informações à polícia sobre o sequestro e apontou onde estavam os corpos.

- Isso é o mais terrível desses bandidos. Levaram o dinheiro e mataram as vítimas. Estamos enviando a elite dos investigadores de Assunção para prender os responsáveis - disse o diretor de investigações da Polícia Nacional, comissário César Silguero, em entrevista à rádio ABC Cardinal.

Em julho deste ano, Helmut já havia sido feito de refém por criminosos, que invadiram a propriedade. Na ocasião, homens encapuzados e fortemente armados o amarraram com fita adesiva e o deixaram à beira da estrada. O grupo fugiu levando dinheiro e um caminhão, encontrado queimado horas depois. A polícia investiga se são os mesmos criminosos desse caso.

Ediger era menonita, um braço do movimento cristão anabatista, que constitui uma importante força econômica do Paraguai. Cerca de 40 mil menonitas se estabeleceram em diversos assentamentos no país sul-americano desde 1927.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos