Domènec Torrent relembra passagem pelo Flamengo: ‘alguns queriam o Klopp’

·1 minuto de leitura

Ex-treinador do Flamengo, Domènec Torrent fez críticas ao formato de gestão do clube, em uma entrevista ao portal alemão 'Spox'. Responsável por assumir o time logo após a saída de Jorge Jesus, o espanhol ficou apenas três meses à frente do elenco e disse que não era unanimidade entre os dirigentes.

— Flamengo é o maior e mais importante clube da América do Sul com 40 milhões de seguidores. Se você perder um jogo, tudo será um desastre. Os diretores tinham ideias diferentes. Alguns queriam Dome como treinador, outros Jürgen Klopp ou outra pessoa. É assim que funciona no Brasil. Minha equipe técnica e eu não sabíamos disso quando chegamos lá. Mas depois de algumas semanas, já estava claro para nós: se perdermos um ou dois jogos, iríamos embora — afirmou Torrent, que já foi assistente de Pep Guardiola.

— Não (me arrependo). O Flamengo é um clube maravilhoso com uma torcida maravilhosa. E a equipe também se tornou querida em meu coração. Na época da minha demissão, estávamos apenas um ponto atrás dos líderes do campeonato (brasileiro), estávamos nas quartas de final da Copa do Brasil e lideramos o nosso grupo na Copa Libertadores. E tudo isso em uma fase em que vários jogadores não estavam disponíveis para nós, devido à Covid-19. Uma vez tivemos 19 casos positivos (no clube). 19! Na Europa, o jogo teria sido cancelado. Tínhamos que jogar de qualquer maneira. Apenas três dos nossos onze jogadores eram do time titular — relembrou Torrent.