Domínio duck.com é cedido pela Google ao DuckDuckGo após quase 10 anos de briga

Rafael Rodrigues da Silva
Desde a última segunda-feira (10), o domínio duck.com não mais pertence à Google, mas ao buscador DuckDuckGo. Empresas brigavam há quase dez anos pelo domínio, que foi adquirido pela Google quando comprou a On2 em 2009

Depois de quase uma década de disputa, a Google finalmente abriu mão do pato. De acordo com uma postagem da NamePros (maior fórum de discussão de nomes e domínios de sites do mundo), a gigante finalmente liberou para a DuckDuckGo o uso do domínio duck.com.

O domínio pertencia à Google desde 2009, quando a empresa adquiriu a On2, uma companhia especializada na redução de banda de vídeo. Durante anos, a On2 era conhecida no mercado como a Duck Corporation, e por isso era dona do domínio duck.com — e que passou a pertencer à Google após a aquisição.

Desde então, o DuckDuckGo — um buscador de páginas criado em 2008 e, portanto, um concorrente — tem tentado convencer a Google a vender o domínio. A empresa queria o domínio não apenas porque ele é incrivelmente popular (aparentemente, existe uma enorme quantidade de pessoas que, ao tentar procurar por “fuck” na internet, o autocorretor do smartphones corrige a palavra para “duck”, o que torna esse um domínio com muitos acessos), mas sim porque ele estava redirecionando para a página do Google, o que deixava os usuários do DuckDuckGo confusos.

O problema começou a ser resolvido em julho deste ano, quando um repórter da Bloomberg criticou a Google por utilizar o domínio para redirecionar ao seu buscador, chamando de prática abusiva da empresa bilionária, ao utilizar um domínio que remetia diretamente a um concorrente para trazer acessos a seu site apenas porque tinha o dinheiro e o poder para isso. Na época, um dos executivos da empresa, Rob Shilkin, disse concordar com a crítica, e o domínio deixou de direcionar para o buscador da Google e voltou a exibir o site da On2.

O Fundador da DuckDuckGo, Gabriel Weinberg agradeceu o gesto da empresa, mas continuou defendendo que a melhor solução seria que ela vendesse o domínio para sua companhia. Por enquanto, não se sabe se a Google vendeu o domínio para a DuckDuckGo ou se o ofereceu como um “pedido de desculpas” pela quase uma década na qual roubou potenciais usuários do serviço para si, já que nenhuma das empresas quis comentar o negócio, ambas apenas afirmando que o domínio não pertence mais à Google e já está redirecionando para o buscador da DuckDuckGo.

Fundada em 2008, a DuckDuckGo oferece o mecanismo de buscas que, ao contrário do Google, não cria perfis baseados em informações pessoais dos usuários e mostra os mesmos resultados para qualquer um que pesquisar os mesmos termos, ao invés de ajustá-los por região e preferências de acesso como faz a Google. Ainda que não seja completamente desconhecida e execute cerca de 25 milhões de buscas todos os dias, a empresa não está nem próxima de fazer sombra à Google, cujo buscador é responsável por 3,5 bilhões de buscas diárias.


Fonte: Canaltech