Dom e Bruno: PF encontra restos mortais de corpos humanos na região das buscas

Membros da Marinha do Brasil realizam uma operação de busca pelo jornalista britânico Dom Phillips e pelo especialista indígena Bruno Pereira, que desapareceram durante uma reportagem em uma parte remota e sem lei da floresta amazônica, perto da fronteira com o Peru, em Atalaia do Norte, estado do Amazonas, Brasil Junho 14, 2022. (Foto: REUTERS/Bruno Kelly)
Membros da Marinha do Brasil realizam uma operação de busca pelo jornalista britânico Dom Phillips e pelo especialista indígena Bruno Pereira, que desapareceram durante uma reportagem em uma parte remota e sem lei da floresta amazônica, perto da fronteira com o Peru, em Atalaia do Norte, estado do Amazonas, Brasil Junho 14, 2022. (Foto: REUTERS/Bruno Kelly)

A PF (Polícia Federal) encontrou restos e partes de corpos humanos enterrados na região onde estão sendo feitas as buscas pelo indigenista Bruno Pereira e pelo jornalista britânico Dom Phillips, no fim da tarde desta quarta-feira (15), ao oeste do estado do Amazonas.

A informação foi divulgada pelo Ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, nas redes sociais. Mais cedo, policiais federais e outros agentes de segurança partiram de barco com um dos suspeitos presos para uma área apontada onde estariam os corpos do indigenista e do jornalista.

A identificação pericial que vai determinar a identidade das vítimas encontradas ainda será feita, segundo informou o ministro.

Nesta quarta, a Justiça do Amazonas decretou a prisão temporária por 30 dias de Oseney da Costa de Oliveira, o "Dos Santos", apontado como o 2º suspeito no caso do sumiço do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, desaparecidos desde o dia 5 de junho.

Oseney é irmão de Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como "Pelado", que está preso desde o dia 7 de junho. Os dois teriam confessado à Polícia Federal envolvimento na morte de Bruno e Dom.

Fontes da PF informaram que Amarildo assumiu que as vítimas foram mortas, esquartejadas e os corpos foram incinerados. Em seguida, foram jogados em uma vala. A informação foi divulgada pela TV Bandeirantes e confirmada pela TV Globo.

De acordo com a CNN Brasil, fontes da PF revelaram que Amarildo confessou que a morte de Bruno e Dom Phillips possui relação com as denúncias feitas pelos dois sobre a prática de pesca ilegal na região.

As buscas pelos corpos estão sendo feitas na margem esquerda do rio Itaquaí, perto da Comunidade São Gabriel.

A prisão temporária de Oseney foi decretada pela juíza Jacinta Silva dos Santos, titular da Comarca de Atalaia do Norte, município do interior do Amazonas. A prisão temporária é por 30 dias, prorrogáveis por mais 30.

Participação de 3º suspeito no crime

A PF trabalha ainda com a possibilidade do envolvimento de uma terceira pessoa no crime. Isso porque Amarildo admitiu ter ajudado a enterrar os corpos do jornalista e do indigenista, mas disse não ter matado os dois. Segundo ele, uma terceira pessoa que teria sido responsável pelas mortes.

Até o momento, somente "Dos Santos" e "Pelado" foram presos.

Conhecido como “Pelado”, Amarildo foi preso no dia 7 de junho por posse de droga e de munição de uso restrito.

Na prisão, a polícia apreendeu sua lancha, onde foram encontrados vestígios de sangue, o que levantou suspeita sobre seu envolvimento no caso dos desaparecidos.

Além disso, segundo testemunhas, no domingo (5), dia que a dupla foi dada como desaparecida, “Pelado” foi visto passando de lancha atrás da embarcação do jornalista e do indigenista, no trajeto de rio que separa a cidade de Atalaia do Norte e a comunidade de São Rafael, no Amazonas, onde eles foram vistos pela última vez.

Policiais federais escoltam um homem acusado de estar envolvido no desaparecimento do jornalista britânico desaparecido Dom Phillips e do especialista indígena Bruno Pereira, que desapareceu enquanto fazia uma reportagem em uma parte remota e sem lei da floresta amazônica, perto da fronteira com o Peru, em Atalaia do Norte, Amazonas, Brasil, 15 de junho de 2022. (Foto: REUTERS/Bruno Kelly)
Policiais federais escoltam um homem acusado de estar envolvido no desaparecimento do jornalista britânico desaparecido Dom Phillips e do especialista indígena Bruno Pereira, que desapareceu enquanto fazia uma reportagem em uma parte remota e sem lei da floresta amazônica, perto da fronteira com o Peru, em Atalaia do Norte, Amazonas, Brasil, 15 de junho de 2022. (Foto: REUTERS/Bruno Kelly)

Desaparecimento de Dom e Bruno: tudo o que você precisa saber

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos