Dom e Bruno: vídeo mostra encontro entre indigenista e suspeito na região do sumiço

Dom Phillips e Bruno Pereira estão desaparecidos desde o dia 5 de junho (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Dom Phillips e Bruno Pereira estão desaparecidos desde o dia 5 de junho (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Desaparecimento de Dom e Bruno: tudo o que você precisa saber

Imagens que circulam nas redes sociais mostram o encontro entre o indigenista Bruno Pereira e Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como “Pelado”, suspeito de matar o brasileiro e o jornalista britânico Dom Phillips no Vale do Javari.

O vídeo mostra Bruno Pereira e a vigilância indígena fazendo uma patrulha. Em um momento, eles encontram a embarcação de Amarildo e alertam sobre a proximidade da terra indígena do Vale do Javari.

O suspeito pelo sumiço, porém, rebate e diz que toda a área é “zona de pesca” e que “não tem nada a ver com indígena”.

O encontro aconteceu no rio Iraquaí, onde Bruno e Dom foram vistos pela última vez.

Suspeitos confessam crime

Um dos suspeitos na morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips confessou ter matado os dois homens desaparecidos. Autoridades levaram Oseney da Costa de Oliveira, de 41 anos, conhecido como "Dos Santos", ao local das buscas.

O homem é o segundo preso suspeito de participação no crime e assumiu que as vítimas foram mortas, esquartejadas e os corpos foram incinerados. Em seguida, foram jogados em uma vala. A informação foi divulgada pela TV Bandeirantes e confirmada pela TV Globo.

De acordo com a TV Globo, os irmãos Oseney e Amarildo estavam pescando pirarucu, prática ilegal na região, quando foram flagrados por Dom Phillips e Bruno Pereira, que fotografavam a região.

Segundo a Bandeirantes, ainda precisará ser feita uma análise do material para comprovar a confissão de Oseney e Amarildo da Costa de Oliveira.

Desaparecimento de Dom e Bruno: tudo o que você precisa saber

O desaparecimento

Dom Phillips e Bruno Pereira estavam desaparecidos desde o dia 5 de junho, quando transitavam pela terra indígena Vale do Javari. A expectativa era de que eles chegassem em Atalaia do Norte após duas horas de trajeto, mas, depois de seis horas, lideranças indígenas estranharam a demora e começaram as buscas.

O desaparecimentoi foi notificado inicialmente pela União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), da qual Bruno faz parte como consultor, no dia 6 de junho. A esposa de Dom Phillips e o cunhado do jornalista também se manifestaram e pediram a intensificação das buscas.

No dia 12, autoridades encontraram pertences de Bruno e Dom durante as buscas, como um cartão de saúde em nome do indigenista, mochila, bota e uma calça.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos