Dom Hélder Câmara: processo de beatificação do bispo avança no Vaticano

O processo de beatificação do arcebispo de Olinda e Recife Dom Hélder Câmara, morto em agosto de 1999, avançou no Vaticano nesta terça-feira. A informação foi comunicada aos fiéis pelo arcebispo Dom Antônio Fernando Saburido e divulgada, por meio de um vídeo, pelos canais oficiais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) nas redes sociais.

Menina Benigna: igreja católica beatifica cearense de 13 anos assassinada por resistir a estupro

Primeiro santo carioca: frade, surfista, menina e casal têm processos de beatificação no Vaticano

— O vice-postulador da causa de Dom Hélder Câmara, frei Jociel Gomes, comunica que foi emitido hoje, em Roma, o decreto de validade jurídica do processo, reconhecendo que todos os atos e toda a documentação feita à arquidiocese foram aprovados pelo Dicastério para a Causa dos Santos — explicou o atual arcebispo de Olinda e Recife.

Um dos fundadores da CNBB, Dom Hélder Câmara foi nomeado arcebispo de Olinda e Recife em 12 de março de 1964, cerca de três semanas antes do início do golpe militar que deu início à ditadura no país. Desde então, o religioso estabeleceu forte resistência ao regime, denunciando violações de direitos humanos cometidas pelas autoridades policiais.

Dom Hélder morreu no Recife, aos 90 anos de idade. Em 2015, o processo de beatificação e canonização do arcebispo foi aberto e, com a autorização da Santa Sé, o religioso recebeu o título de Servo de Deus — o primeiro na escala que vai até os santos.

O frei Jociel Gomes foi designado o postulador do caso, responsável pela investigação da vida do candidato para provar sua santidade. Em dezembro de 2018, a etapa local da canonização foi concluída e um dossiê de 197 páginas foi enviado ao Vaticano, incluindo laudos, pareceres, relatos de pessoas que conheceram Dom Hélder e a descrição de um possível milagre, mantido em sigilo.