Estônia, Letônia e Lituânia expulsam diplomatas russos por ataque a ex-espião

Berlim, 26 mar (EFE).- Estônia, Letônia e Lituânia anunciaram nesta segunda-feira a expulsão de vários diplomatas russos em resposta ao envenenamento no Reino Unido do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha, que foram hospitalizados no dia 4 de março após serem expostos a um agente químico.

Em uma coletiva de imprensa, o ministro das Relações Exteriores da Estônia, Sven Mikser, anunciou que o embaixador da Rússia em seu país foi informado que o adido militar russo alocado nessa embaixada tem uma semana para deixar o país.

"As suas ações não estão em consonância com o estipulado na Convenção de Viena sobre relações diplomáticas", argumentou o ministro, citado pela emissora de radiotelevisão estoniana, em alusão a atividades de espionagem.

O ministro das Relações Exteriores da Letônia, Edgars Rinkevics, informou através do Twitter que, "em solidariedade com o Reino União após o ataque de Salisbury e a violação da Convenção de Viena, a Letônia se une a muitos países da União Europeia" com a expulsão de um diplomata russo e a inclusão de um cidadão russo em uma lista negra.

O Ministério de Relações Exteriores da Lituânia, por sua vez, informou sobre a expulsão de três diplomatas russos, segundo o site de notícias "Delfi". EFE