Dona de casa é morta por asfixia com almofada na Grande SP

ALFREDO HENRIQUE

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma dona de casa de 43 anos foi morta por asfixia com uma almofada dentro de sua casa, por volta das 9h desta terça-feira (13), em Suzano (Grande SP). O principal suspeito do crime é o ex-companheiro da vítima, que não havia sido localizado pela polícia até a publicação desta reportagem. 

Segundo a polícia, Maria Elisângela Alves da Silva e o acusado pelo crime, identidade não informada, teriam se separado há cerca de três meses. Ainda segundo a polícia, o acusado foi à residência da dona de casa com o intuito de reatar o relacionamento. Porém, após a vítima negar isso, o acusado a teria matado. 

Vizinhos de Maria afirmaram a policiais militares que ouviram gritos durante uma discussão que precedeu o assassinato da mulher. Somente quando a discussão cessou a PM foi acionada pelas testemunhas. 

Ao chegarem na casa, policiais se depararam com Maria já morta, caída no chão, com uma almofada (do mesmo tipo que é usada em sofás) sobre o rosto. Além disso, o corpo da mulher também apresentava sinais de enforcamento. 

O caso é investigado pela Polícia Civil de Suzano, que até o momento registrou o caso como homicídio simples. Porém, segundo um policial ouvido pela reportagem, o caso pode ainda ser registrado como feminicídio (quando a vítima é morta pelo fato de ser mulher). 

FEMINICÍDIOS

Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), os feminicídios aumentaram em 17% no estado de São Paulo no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2018. Foram 62 casos entre janeiro e junho de 2019 e outros 53 nos seis primeiros meses do ano anterior.