Dona da M&Ms promete US$ 1 bilhão para combater exploração infantil

M&Ms – Reprodução

A fabricante de chocolate Mars, dona de marcas como M&Ms e Snickers, afirmou destinar US$ 1 bilhão para garantir que todos os seus suprimentos de cacau sejam produzidos sem trabalho infantil.

A companhia fará o investimento na tentativa de atingir suas metas até 2025. Além de atacar diretamente a exploração de crianças, o conglomerado de confeitaria visa tornar sua produção totalmente sustentável e mais ética.

Em comunicado, a Mars afirma que 50% dos suprimentos da empresa possuem certificados de diversas organizações éticas e conservacionistas. Entretanto, a certificação tem sido criticada por falta de eficiência, mobilizando assim a diretoria da companhia a promover mudanças.

De acordo com empresa, a ideia é que todos os ingredientes utilizados para a produção dos doces sejam coletados sem contribuir para o desmatamento, trabalho infantil ou escravo e também para a degradação ambiental.

“A cadeia de fornecimento de cacau, como funciona hoje, está quebrada. É hora de reconhecer isso e construir um novo modelo e uma nova abordagem que se concentre em colocar o pequeno proprietário no centro”, explicou John Ament, vice-presidente global de cacau da empresa, em entrevista à agência Reuters.

“Certificação não é suficiente. Acreditamos que precisamos estabelecer padrões mais exigentes do que os conjuntos de certificação atuais”, completou o executivo.

Parte da estratégia desenvolvida pela Mars envolverá o uso de GPS para rastrear a origem dos produtos para coibir as práticas ilegais. Paralelamente a empresa trabalhará junto com os governos locais para criar programas que combatam o trabalho infantil, como a construção de escolas e planos de assistência social.