Trump criticou resolução proposta pelo Brasil sobre vacina do novo coronavírus, diz site

Foto: AP Foto/Evan Vucci

O governo norte-americano aprovou integralmente uma resolução aprovada nesta terça-feira (19) na OMS (Organização Mundial da Saúde), que estabelecia o compromisso dos países de garantir acesso à vacina e tratamento contra o novo coronavírus. As informações são do jornalista Jamil Chade, do portal UOL.

O governo brasileiro apoiava a resolução que, inclusive, foi negociada diretamente por Maria Nazareth Farani Azevedo, embaixadora do Brasil na OMS.

Leia também

O documento, aprovado por 194 países, teve trechos destacados por Washington, que não concordou com seu conteúdo.

"Os Estados Unidos reconhecem a importância do acesso a produtos de saúde acessíveis, seguros, de alta qualidade e eficazes e o papel fundamental que a propriedade intelectual desempenha no incentivo à o desenvolvimento de novos e melhores produtos para a saúde. No entanto, como redigido atualmente, os parágrafos enviam a mensagem errada aos inovadores que serão essenciais para as soluções que o mundo inteiro precisa", disse a delegação americana.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O governo de Donald Trump também deixa claro que é contra novos mecanismos de compartilhamento de patentes.

"É fundamental que quaisquer mecanismos voluntários como os aplicados às tecnologias relacionadas à Covid-19 sejam estritamente adaptados em escopo e duração às necessidades médicas da crise atual", alertou.

Trump afirmou que deseja que governos se "engajem com inovadores para encontrar soluções mutuamente aceitáveis que alcancem maior acesso a produtos de saúde Covid-19 acessíveis, seguros, eficazes e de alta qualidade".

Depois de longa negociação, a OMS aprovou uma resolução que aprova que uma eventual vacina contra o novo coronavírus seja considerada como um “bem público mundial"

Jair Bolsonaro (sem partido) já afirmou publicamente que vê os EUA como o principal aliado do Brasil no planeta. Ainda assim, os norte-americano não parecem satisfeitos com a declaração na OMS que garanta que patentes não seja um obstáculo ao acesso mundial de vacinas.

Segundo o jornalista, o governo brasileiro considera fundamental que o documento reforce mecanismos legais para que países de todo o planeta tenha acesso a produtos que podem frear a pandemia.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.