Donald Trump assina decreto que enfraquece Obamacare

NOVA YORK, EUA (FOLHAPRESS) - Depois de quase um ano de desgastes tentando derrubar no Congresso o Obamacare, o sistema de saúde idealizado por seu antecessor na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos decidiu desmantelar parte da medida com a "força da caneta".

Um decreto executivo assinado por Donald Trump nesta quinta-feira (12) deve permitir que pequenas empresas se associem para negociar com planos de saúde usando o mesmo poder de barganha das gigantes, o que significa que o preço pago pelo serviço pode cair num primeiro momento.

Mas, analistas alertam, também sinaliza que a cobertura para os mais vulneráveis, ou que já têm doenças preexistentes, pode se tornar mais cara ou até inviável, diante da possível recusa de planos em oferecer serviços a grupos de risco.

Nada sairá do papel sem a adoção dos novos regulamentos por agências federais e um período de consultas, o que pode levar meses. Mas, para um governo que patinou quase um ano tentando desfazer o plano de Obama, esse decreto simboliza um alívio.

Na visão de detratores da ordem executiva, no entanto, o decreto passa por cima do Congresso e ainda derruba garantias do sistema agora em vigor que combatem planos que não oferecem cobertura mínima. No modelo previsto por Trump, planos podem não ser obrigados a oferecer serviços considerados essenciais pelo Obamacare, como resgates de emergência, cobertura de saúde mental, maternidade e tratamentos para dependência química.