Dono de maior salário em cargos secretos no Rio não consegue explicar o que faz

Fabrício Cabral é dono dos maiores salários em cargos secretos revelados pelo MP-RJ - Foto: Reprodução/Facebook/Pop FM Campos
Fabrício Cabral é dono dos maiores salários em cargos secretos revelados pelo MP-RJ - Foto: Reprodução/Facebook/Pop FM Campos
  • Jornalista Fabrício Cabral é dono dos maiores salários em cargos secretos revelados pelo MP-RJ

  • Ele acumula funções em dois projetos e recebeu R$ 122,8 mil apenas este ano

  • Em contato com o UOL, o profissional não soube explicar o que faz

Dono do maior salário dos cargos secretos do Governo do Rio de Janeiro, o jornalista Fabrício Manhães Cabral não sabe explicar o que faz na Fundação Centro Estadual de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio (Ceperj).

Foi o que mostrou o UOL em matéria publicada nesta quinta-feira (4). O portal entrou em contato com o profissional citado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) como dono de R$ 122,8 mil em salários do Ceperj somente nos primeiros sete meses do ano.

Cabral confirmou ter sido indicado pelo vereador de Campo dos Goytacazes Helinho Nahim (Agir), aliado do líder do governo de Cláudio Castro (PL) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Rodrigo Bacellar (PL).

Em nota, a Ceperj explicou que o jornalista é "superintendente de projetos" e "é responsável pela gestão de duas equipes". Isso explicaria os dois salários recebidos por ele de janeiro a julho, um de R$ 8.849 e outro de R$ 8.700.

A Fundação afirmou, ainda, que Cabral "recebe de acordo com suas entregas, produção, nível de complexidade e responsabilidade de projetos" e que "não há impedimento legal para que ele participe de mais de um projeto, desde que tenha disponibilidade de horário".

MP-RJ aponta irregularidades

A ação movida pelo MP-RJ contra a Ceperj, porém, aponta indícios de irregularidade no acúmulo de funções do profissional.

Segundo o processo, são "atividades que haveriam de ser desempenhadas em caráter permanente, ao longo de todo o período de duração do projeto, e cuja execução demanda subordinação, carga horária semanal mínima, controle de frequência, e pagamento de remuneração mensal sistemática e contínua".

O Ministério Público apontou que R$ 226 milhões foram sacados em dinheiro por funcionários da Ceperj este ano, expediente adotado por Cabral em cinco dos 14 salários recebidos em 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos