Dono de restaurante japonês com ‘escravidão’ e comida podre em SP é preso

Suspeito é investigado por manter funcionários em más condições e usar alimentos vencidos

Restaurante japonês em SP foi denunciado por manter funcionários em condições análogas a da escravidão (Reprodução/ Google Maps e Reprodução/Polícia Civil de SP)
Restaurante japonês em SP foi denunciado por manter funcionários em condições análogas a da escravidão

(Reprodução/ Google Maps e Reprodução/Polícia Civil de SP)

Foi preso o dono do restaurante japonês na Vila Formosa, Zona Leste de São Paulo (SP), denunciado por manter funcionários em condições análogas à escravidão. A informação foi publicada nas redes sociais da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo nesta terça-feira (24).

O suspeito, que não teve a identidade revelada, também é investigado por crime contra relações de consumo, já que alimentos vencidos e em mau estado de conservação foram encontrados no estabelecimento.

Ele é a segunda pessoa presa após uma operação policial no restaurante, realizada na quinta-feira passada (19). Na ocasião, os agentes resgataram 15 pessoas que trabalhavam lá e prenderam a gerente, de 39 anos. Ela foi liberada após audiência de custódia.

Comida reaproveitada

Ao UOL, um funcionário do restaurante japonês disse que uma das orientações do restaurante era enviar para novas mesas alimentos que sobrassem de outros clientes.

“Quando ia para a mesa e voltava sem vestígio de estar mexido, se a gente fosse jogar no lixo, eles descontavam do nosso salário, brigavam com a gente, e até advertiam”, relatou.

O homem, que não quis ser identificado, também conta que:

  • Ele e os colegas acabavam comendo produtos estragados, já que faziam muitas das refeições no restaurante;

  • Contando com ele, 16 pessoas moravam em um alojamento com parede mofada, ratos e outros bichos;

  • Não sabia que seu salário era de R$ 1,4 mil, já que o local pagava cada mês um valor;

  • A remuneração atrasava;

  • Trabalhava em dois turnos, sem receber hora extra ou adicional noturno;

  • Teve valores da passagem da Paraíba para SP – bem como dos alimentos que comia – descontados do salário.

O que diz o restaurante?

Em nota nas redes sociais, o estabelecimento afirma que “os fatos alegados serão, em tempo oportuno, devidamente esclarecidos no bojo do processual judicial e administrativo”.

Ao Yahoo Notícias, o restaurante afirmou que está funcionando normalmente.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.