Donos de bares e restaurantes comemoram ampliação do horário do funcionamento em SP

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Donos de bares e restaurantes de São Paulo comemoraram as mudanças nas regras que permitem a ampliação do horário de funcionamento dos estabelecimentos e o aumento da capacidade de público a partir desta sexta-feira (9). As mudanças foram anunciadas pelo governador João Doria na última quarta-feira (7).

Agora, os estabelecimentos comerciais poderão aumentar para 60% o total de sua capacidade de atendimento. Antes podiam receber até 40%. Além disso, o horário de funcionamento também sofre alteração e passa da 21h para as 23h.

A empresária Lilian Varela, 60 anos, dona do bar Drosophyla, na Consolação, região central de São Paulo, acredita que as mudanças podem ajudar na recuperação do seu negócio.

"O nosso setor ficou super feliz com as alterações. Essas horas a mais vão ajudar muito a alavancar a casa. Acredito que possamos faturar 30% a mais do que antes", explica Varela.

Com medidas mais restritivas, o local, especializado em servir drinks, ficava prejudicado. Segundo ela, o estabelecimento abria às 17h, mas só começava a receber clientes por volta das 19h30.

"Quando dava umas 20h30, eu já tinha que avisar que era a última rodada de drinks porque às 21h tínhamos que fechar. Nós só tínhamos efetivamente o período de 1h para lucrar", conta a empresária.

A pandemia tem sido um grande problema para o setor. A proprietária do bar relata também o drama vivido neste período de pandemia.

"Tem sido agoniante. As contas continuam vindo com força. Temos que fazer várias equações para conseguir manter o bar", continua.

Para se ter uma ideia, antes da pandemia do coronavírus, Lilian funcionava com 15 funcionários. Agora, atende com apenas quatro e teve que se desfazer do serviço de cozinha da casa. Algo que ela pretende retomar no futuro, caso as medidas se solidifiquem ou ganhem ainda mais flexibilização.

"Acredito que a tendência com o avanço da vacinação é melhorar cada vez mais. Mas eu tenho que ter os pés no chão e ver se esse retorno será de forma permanente. Eu espero que isso possa se firmar para eu poder reabrir a cozinha", revela.

O otimismo também é compartilhado pelo presidente da Abrasel-SP (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de São Paulo), Joaquim Saraiva de Almeida. "O setor está muito esperançoso por finalmente poder operar no jantar e com maior capacidade. Teremos sem dúvida, um ótimo fim de semana. São Paulo já perdeu mais 12 mil bares ou restaurantes durante a pandemia. Esperamos não ter mais retrocessos e iniciar a reconstrução do setor", afirma.

A alteração atinge, principalmente, as casas que trabalham no período noturno. Em comparação ao momento atual, a expectativa do setor é de que as novas medidas aumentem o faturamento em cerca de 30% para os restaurantes que só oferecem almoço, mas que possa atingir algo superior a 100% para as casas que operam também com o jantar.

"O brasileiro não tem a cultura de chegar cedo. Tendo que fechar às 21h ficava inviável para os estabelecimentos", completa Almeida, que também tem projeções otimistas para o futuro do setor.

"É um pontapé inicial para uma retomada. Com o avanço da vacinação, acreditamos que até outubro as medidas possam ser normalizadas. Caso isso aconteça, de fato, não digo que chegaremos ao mesmo patamar de antes da pandemia, mas o setor pode crescer de 70 a 80%. Mas para que isso aconteça, precisamos de uma economia estável", finaliza.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos