Donos de time de beisebol americano querem comprar o Liverpool, mas e-mails vazados geram críticas da torcida

O Liverpool está disponível no mercado desde a segunda-feira, quando o Fenway Sports Group, atual dono da equipe, anunciou que há a posssibilidade de venda. De acordo com o The Sun, um dos nomes interessados é o da Família Ricketts, donos do clube de beisebol estadunidense Chicago Cubs, mas pode haver um entrave com a torcida. Em abril, o grupo entrou nas negociações pelo Chelsea, mas e-mails pessoais vazados de Joe Ricketts, principal representante da família, geraram protestos da torcida. No conteúdo, o bilionário é explicitamente racista, islamofóbico e intolerante religioso.

"Os cristãos e os judeus conseguem se respeitar para construir uma sociedade civilizada. Os muçulmanos não, por isso não podemos deixar que o islamismo se torne uma grande parte da sociedade", era o conteúdo de um dos e-mails vazados. Mas não parou por aí. "Muçulmanos são naturalmente meus inimigos devido ao antagonismo e preconceito deles contra não-muçulmanos". Em um e-mail com o filho, Pete, que tem carreira política, ele chegou a afirmar que o islamismo é "um culto e não uma religião".

Quando as mensagens se tornaram públicas, os torcedores dos Blues imediatamente protestaram contra a compra, primeiro nas redes sociais, e depois levando cartazes para uma partida da Premier League contra o Brentford. O Chelsea Support Trust, uma organização que é reconhecida como uma das mais influentes no clube, realizou uma pesquisa que revelou que 77% dos membros era contra a aquisição do clube pelo grupo, que tem uma fortuna avaliada em 3.2 bilhões de libras (cerca de R$19 bi).

Apesar dos protestos da torcida, a direção do clube continuou a negociação com o grupo, mas no final foi o investidor Todd Boehly que se tornou o novo dono do Chelsea. Resta agora esperar se a torcida do Liverpool reagirá da mesma maneira, e se o clube, desta vez, irá ouvir o pedido da torcida.