Estas drag queens brasileiras levaram o 'don't rush challenge' muito a sério

Equipe HuffPost

“O que você e suas amigas estão fazendo durante a quarentena?”, pergunta a drag queen Kaya Conky, ao publicar um dos vídeos mais divertidos já publicados durante o período de isolamento social nas redes sociais.

Em tempos de coronavírus, home office, e quarentena, pijamas, roupas básicas e confortáveis saíram do armário de muita gente - inclusive das drag queens. Mas ao mesmo tempo, a vontade de “se montar” ainda permanece. Para matar a saudade Kaya e outras drags toparam fazer o “dont’ rush challenge”.

O desafio que tomou as redes sociais nos últimos dias surgiu no Tik Tok, aplicativo "queridinho" entre jovens e funciona de forma simples e divertida: um grupo de amigos faz uma sequência de cenas em que aparecem do jeito mais natural possível e, em uma transição do vídeo, surgem com um look completo. Detalhe: isso acontece em um segundo.

Assista ao vídeo abaixo:

O “Dont’ Rush” se tornou viral dos Estados Unidos, mas, claro, chegou ao Brasil. Tanto lá, quanto por aqui, ele se tornou uma ferramenta para exaltar a beleza fora dos padrões eurocêntricos, que é desvalorizada pela sociedade.

O primeiro deles a viralizar no Brasil foi protagonizado por mulheres negras. Entre elas, Iza, Taís Araújo, Karol Conka, Liniker, Majur, MC Sofia e outras. Em apenas um segundo, elas fazem com que a roupa confortável dê lugar à uma produção e tanto. O vídeo já foi visto por mais de 2 milhões de pessoas.

Continue a ler no HuffPost