'Doria é chato, mas competente', diz campanha de governador nas prévias do PSDB

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 27.03.2020 - O governador de São Paulo, João Doria, durante coletiva de imprensa após visita as obras de instalação do Hospital Municipal de Campanha de Combate ao Coronavírus no estádio do Pacaembu. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 27.03.2020 - O governador de São Paulo, João Doria, durante coletiva de imprensa após visita as obras de instalação do Hospital Municipal de Campanha de Combate ao Coronavírus no estádio do Pacaembu. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um vídeo preparado pela campanha de João Doria (PSDB), que disputa a vaga de seu partido para concorrer à Presidência da República em 2022, afirma que o governador de São Paulo é chato, mas competente, e que foi ele o responsável por garantir a vacina contra a Covid-19 para brasileiros de diversas regiões —inclusive para Lula (PT) e para a mãe do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A peça cita o fato de Doria ser chamado de "calça apertada" por bolsonaristas e de "coxinha" por seus desafetos petistas. "Enquanto eles procuravam apelidos para o Doria, o Doria procurava uma vacina para o Brasil. E o coxinha-calça-apertada atravessou o mundo para conseguir a única vacina que o Brasil teve no pior momento da pandemia", afirma o narrador do vídeo, em referência à Coronavac.

"O Doria pode ser coxinha, usar calça apertada e exagerar no marketing pessoal. Ele pode até ser chato. Mas ele fez o que qualquer presidente cabeça no lugar faria: trabalhar sem importar o partido, a ideologia, o sexo, a religião", segue.

De acordo com o vídeo, é por "ter um cara chato no comando" que o estado de São Paulo está vivendo o período de maior investimento de sua história, com a maior geração de empregos no país, além de ter mais escolas em tempo integral e a Bolsa do Povo. A narração é embalada por batidas de funk ao fundo.

A campanha ainda rechaça a acusação de que o governador paulista teria se mobilizado pelo imunizante contra a Covid-19 por oportunismo, mirando o posto no Palácio do Planalto. E afirma que é melhor um presidente chato e competente "que resolva a vida de todos" do que o "mais do mesmo", ilustrado com fotos de Lula e de Bolsonaro.

As prévias presidenciais do PSDB são hoje uma disputa acirrada entre os governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS) com o resultado em aberto.

Na segunda-feira (1º), a comissão para prévias do PSDB decidiu que nenhum dos 92 prefeitos e vices de São Paulo que estão no centro de acusação de suposta fraude do diretório paulista poderá participar do processo de seleção do candidato presidencial da sigla.

A decisão foi tomada de forma unânime e é uma vitória do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, principal oponente de João Doria na disputa tucana. Foi o diretório gaúcho, juntamente com os de Minas Gerais, Bahia e Ceará, apoiadores de Leite, que protocolaram a denúncia. Ainda cabe recurso.

Em reação, o PSDB de São Paulo entrou com representação na comissão das prévias do partido para que 32 filiados de outros estados também não possam votar nas eleições que definirão o candidato da legenda ao Planalto. O pedido paulista se refere aos diretórios do Rio Grande do Sul, Bahia e Minas Gerais.

De acordo com a deliberação da executiva do PSDB, as prévias estão marcadas para 21 de novembro, com possível segundo turno em 28 de novembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos