Doria acusa governo federal de boicotar SP ao enviar metade das doses previstas de Pfizer

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO - O governo de São Paulo afirma que recebeu apenas metade das doses da vacina da Pfizer contra Covid-19 que deveriam ter sido entregues pelo Ministério da Saúde ao estado na terça-feira. A falta de 228 mil doses foi denunciada pelo governador João Doria (PSDB) na tarde desta quarta-feira.

— Aquilo que deveria ter sido entregue ao estado de São Paulo não foi [entregue] — disse Doria.

Em média, pelo tamanho de sua população, o estado de São Paulo recebe cerca de 22% da quantidade total de vacinas a cada entrega. Nesta terça, segundo a gestão estadual, esse padrão foi quebrado sem qualquer aviso, com uma entrega que só continha 50% do esperado.

Para Doria, trata-se de uma “decisão arbitrária do Ministério da Saúde” que “representa quebra do pacto federativo”. Na manhã desta quarta-feira, segundo ele, foi enviado ao ministro Marcelo Queiroga um ofício cobrando as 228 mil doses da Pfizer que eram aguardadas. No documento, é pedida a entrega dentro de 24 horas.

— Decidiu punir quem fez o certo e quem foi eficiente na vacinação. Com menos vacinas da Pfizer para São Paulo, o Ministério da Saúde compromete o calendário de vacinação de crianças e adolescentes no estado de São Paulo, previsto para começar no dia 18 de agosto — afirmou Doria.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos