Doria afasta coronel da PM que fez convocações para manifestação pró-Bolsonaro em 7 de setembro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
The Governor of Sao Paulo Joao Doria, was in Rio de Janeiro, and launched the preview of his candidacy for the Presidency of the Republic in the 2022 presidential elections, in a rhythm of samba, and crowds of people amidst the corona virus pandemic, covid19 he seeks votes in Rio for PSDB caucuses, his political party, was received with a presentation by the Imperatriz Leopoldinense samba school.Covid-19: Brazil registers 28,000 new cases and 698 deaths in 24 hours, the total number of deaths in the pandemic reached 574,209.

The number of people who have contracted the disease since the start of the pandemic has risen to 20,556,487. Between yesterday and today, 28,388 new cases were registered. On August 21, 2021 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)
Nesta segunda-feira (23), João Doria vai se reunir com outros governadores para debater ameaças golpistas nas polícias (Foto: Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)
  • Coronel da PM de SP que fez convocações para manifestação a favor de Bolsonaro em 7 de setembro foi afastado da corporação

  • Alexander Lacerda também fez publicações contra o STF e contra o governador João Doria nas redes sociais

  • Segundo Doria, trata-se de um "caso isolado", mas, caso volta a acontecer, as punições serão as mesmas

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), confirmou que afastou um coronel da PM que estava convocando amigos, familiares e colegas para participarem da manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que acontecerá no dia 7 de setembro. 

Nas redes sociais, o coronel Alexander Lacerda fez publicações contra o Supremo Tribunal Federal e contra Doria. Segundo o governador de SP, trata-se de um "caso isolado". 

Leia também:

"Quero dizer que este coronel, coronel Alexander Lacerda, acaba de ser afastado da Polícia de São Paulo por indisciplina. Ele foi comunicado agora pela manhã pelo general João Campos, secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, e pelo comandante geral da Polícia Militar de São Paulo, coronel Alencar. Aqui em SP nós não admitimos indisciplina em hipótese alguma, ele foi afastado", afirmou Doria em entrevista à rádio CBN. 

"E responderá também porque aquilo que falou e pelas postagens que fez", continuou. Questionado sobre possíveis outros casos, o governador alegou que, caso aconteça novamente com outros PMs, eles terão "o mesmo destino". 

Nesta segunda-feira (23), Doria se reunirá com outros governadores. O motivo do encontro, solicitado pelo tucano, seria a uma "ameaça de golpe, uma conturbação à democracia brasileira", que acontece também entre os policiais militares, força que apoia, majoritariamente, o presidente da República. 

"É inaceitável qualquer movimento, de qualquer ordem, para flertar com o autoritarismo. Manifestações contra ou a favor, desde que feitas no âmbito popular, não dentro de instituições como Polícia Militar ou Polícia Civil ou de representantes de governos de manifestando de forma indisciplinada, mas dentro daquilo do que cabe a manifestações é aceitável, faz parte da democracia", declarou Doria. 

"Agora, insuflar movimentos golpistas no Brasil, não. Nós reagirem. Os governadores que defendem a democracia vão reagir."  

Manifestações na Av. Paulista

Na entrevista à CBN, Doria afirmou que no dia 7 de setembro a Av. Paulista vai receber manifestantes a favor do presidente Jair Bolsonaro. Quem é contrário ao governo poderá ocupar o local no dia 12 de setembro, o domingo seguinte. 

"As manifestações têm que ser respeitadas contra e favor. No dia 7, serão os manifestantes a favor do governo Bolsonaro, no dia 12 de setembro, os manifestantes contra o governo Bolsonaro. O que não vamos permitir, é que no mesmo lugar, no mesmo dia, se encontrem manifestantes contra e a favor. Isso, evidentemente, o governo de São Paulo, a Secretaria de Segurança Pública não vai permitir", declarou.  

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos