Doria anuncia 'bolsa-auxílio' em SP de até R$ 450 para 100 mil beneficiários

João Conrado Kneipp
·2 minuto de leitura
João Doria and Patricia Ellen, during a press conference on the announcement of measures to combat the Coronavirus, (COVID-19) this Wednesday, July 8, 2020 at the Palácio dos Bandeirantes in Sao Paulo, Brazil. (Photo: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
A expectativa do governo Doria é de enviar a proposta para a Alesp na sexta-feira (26). (Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a ampliação de dois programas de contratação e distribuição de renda, que pagarão um auxílio financeiro de até R$ 450 e pode atingir 100 mil pessoas no estado.

O anúncio do benefício ocorre no mesmo momento em que o governo do presidente Jair Bolsonaro discute a aprovação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial no Senado, que viabilizaria a recriação do auxílio emergencial no país.

Leia também

"As pessoas não querem só o dinheiro nesse momento de crise. As pessoas querem trabalhar, as pessoas querem estudar e ter uma oportunidade após o término do auxílio", destacou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

O "Bolsa-Trabalho" tem o objetivo de oferecer bolsa-auxílio de até R$ 450 mensais e qualificação profissional online para a população desempregada, principalmente devido à pandemia do novo coronavírus. O projeto deverá atingir 70 mil beneficiários.

A iniciativa já existe, mas será reformulada pelo governo Doria em uma proposta que será enviada para a Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) na sexta-feira (26). Hoje, o Bolsa Trabalho paga um benefício de R$ 330.

Caso seja aprovado, o programa prevê o pagamento de cinco parcelas de R$ 450 mensais para profissionais, além de meio período de trabalho em contrato com prefeituras pelo estado. 

Dentre as atividades laborais da iniciativa, novos serviços poderão ser incluídos, como a contratação de mães e pais para atuar nas escolas, apoiando na retomada das aulas.

A segunda iniciativa é o Via Rápida, que a partir do mês de março contará com o pagamento de uma única parcela no valor de R$ 210 para os estudantes matriculados nos cursos.

Os estudantes que se inscreverem nos cursos de qualificação do programa receberão uma bolsa única como ajuda de custo no transporte e alimentação, que será disponibilizada após 10 dias de aula. 

Essa primeira parcela atinge, segundo o governo, uma população de 30 mil beneficiários, até o final de 2021.

Para receber a bolsa-auxílio, o estudante deverá ser maior de 16 anos, estar desempregado e morar no estado de São Paulo. Além disso, é necessário estar frequente no curso e não pode ser beneficiário de seguro-desemprego.

As informações sobre o auxílio do programa Via Rápida poderão ser consultadas no site www.cursosviarapida.sp.gov.br.

"Esses beneficiários terão acesso a uma bolsa, a qualificação profissional e terão acesso a trabalhos em serviços públicos que estão necessitados de pessoas neste momento", completou a secretária.