Doria anuncia ex-diretor de Einstein e Sírio para comandar a Saúde de SP

ARTUR RODRIGUES
Renato S. Cerqueira/Futura Press

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quinta-feira (8) Gustavo Junqueira para a pasta da Agricultura e o médico José Henrique Germann Ferreira para a Saúde.

Antes disso, Doria havia anunciado três ministros da gestão Michel Temer (MDB) para fazer parte do governo paulista: Gilberto Kassab, do PSD, para Casa Civil; Rossieli Soares, na Educação; e Sérgio Sá Leitão, para a Cultura e Economia Criativa.

Além deles, outro escolhido no primeiro escalão foi o vice-governador eleito, Rodrigo Garcia (DEM), que assumirá as atribuições da atual secretaria de Governo, pasta que será extinta.

Germann, 69, formado pela USP, foi diretor-superintendente dos hospitais Albert Einstein e Sírio Libanês. Atualmente, ele é supervisor do programa de residência médica da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein.

Na área da Saúde, a principal aposta da futura gestão Doria é levar o Corujão da Saúde (implantado pela prefeitura e que contrata exames de hospitais privados) para o resto do estado. Mas não foram fixadas metas do programa.

"Ele não se aplica a todas as cidades. Ele se aplica às cidades onde a gente tem hospitais privados", disse Doria. "As metas serão apresentadas oportunamente pelo secretário."

O futuro secretário da Saúde não deu detalhes, mas confirmou que vai levar o Corujão para o resto do estado, com objetivo de zerar as filas de exames, e manterá o programa de assistência a viciados em drogas, o Redenção.

"A secretaria atende a população muito bem, mas sempre precisa melhorar, porque os problemas mudam. Então, temos que criar inovações e soluções", disse Germann.

Futuro titular da Agricultura, Junqueira, 46, é produtor rural, so?cio da Brasilpar Investimentos e já presidiu a Sociedade Rural Brasileira.

Por enquanto, não há nenhum tucano entre os anunciados por Doria. Ele diz que não olhou partidos ao escolher os nomes. "Isso não é o nosso fundamento. É tem capacidade, especialização, liderança e capacidade máxima de gerir com eficiência."

Apesar disso, ele afirmou que tem reunião marcada com o PSL --no caso, o presidente estadual da sigla, Major Olímpio, que fez fortes críticas a Doria durante a campanha.