Doria cancela licença em Miami e diz que voltará a SP após interino ser diagnosticado com Covid

João de Mari
·2 minuto de leitura
In this Nov. 7, 2019 photo, Gov. Joao Doria attends a press conference in Sao Paulo, Brazil. As Rio de Janeiro vies for the Brazil F1 GP race, Doria commented on the planned Rio venue, "You can't get there. There are no roads, just go by horse. Make a visit, rent a helicopter, a drone. There is no access, no energy, no basic sanitation." (AP Photo/Nelson Antoine)
Nas redes sociais, Doria justificou a licença de 10 dias dizendo que “trabalhou ininterruptamente ao longo de 2020, sacrificando o convívio familiar” (Foto: AP Photo/Nelson Antoine)

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (23) que está cancelando a licença que tirou do comando do Estado de São Paulo após ser informado que seu vice, Rodrigo Garcia, testou positivo para Covid-19.

“Acabo de receber a notícia de que o vice-governador, Rodrigo Garcia, testou positivo para Covid-19. Por conta disso, estou cancelando minha licença e retorno ainda hoje para SP para seguir o trabalho à frente do Governo de SP. Desejo pronta recuperação ao Rodrigo Garcia”, escreveu Doria no Twitter.

Ainda nesta quarta (22), o governador havia informado que iria ficar de recesso por 10 dias. A licença causou revolta nos internautas após a informação de que o governador teria viajado para Miami, nos Estados Unidos.

A informações foram publicadas inicialmente pela Revista Oeste, e confirmadas pela jornalista Camila Matoso, da coluna Painel, no jornal Folha de São Paulo.

Nas redes sociais, Doria justificou a licença de 10 dias dizendo que “trabalhou ininterruptamente ao longo de 2020, sacrificando o convívio familiar”.

Leia também

Hoje mais cedo, Garcia informou pelo Twitter que testou positivo para Covid-19 e que permeneceria em isolamento. “Testei positivo para Covid-19. Permanecerei em isolamento, cumprindo agenda virtual de trabalho”.

O anúnciou da doença do vice e da viagem do governador aconteceu um dia após o governo anunciar na terça (22) um endurecimento nas medidas restritivas ao comércio, por conta do aumento da velocidade de contágio no estado de São Paulo. Por 6 dias, entre o período de Natal e Ano Novo, São Paulo irá obedecer as regras da Fase Vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo.

Entre os dias 25 a 27 de dezembro, e 1 a 3 de janeiro, só funcionarão os serviços considerados essenciais. Nos demais, volta a vigorar a Fase Amarela, na qual o estado inteiro foi inserido no dia 30 de novembro.

A próxima reclassificação só será feita no dia 7 de janeiro de 2021.